1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nkurunziza regressa a Bujumbura depois de fracassada a tentativa de golpe de Estado no Burundi

Pierre Nkurunziza, regressou à capital do país, Bujumbura, onde os líderes da tentativa de golpe de Estado estão em fuga ou presos.

default

Pierre Nkurunziza, Presidente do Burundi

O presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, regressou na tarde desta sexta-feira (15.05) à capital do país, Bujumbura, onde os líderes da tentativa de golpe de Estado estão em fuga ou presos enquanto recomeçaram as manifestações hostis ao chefe de Estado em alguns bairros.

Pierre Nkurunziza, que parece ter saído vitorioso da tentativa de golpe de Estado, regressou na tarde desta sexta-feira ao Palácio presidencial em Bujumbura. Ele agradeceu as forças de defesa e de segurança pela sua “rapidez e eficácia” em travar a tentativa de golpe, tendo anunciado por outro lado a reabertura das fronteiras do país.

Num discurso publicado no site da presidencia em kirundi (a língua nacional) e que deverá ser mais tarde difundido pela rádio e televisão nacional, o presidente Nkurunziza relacionou o grupo dos golpistas com as manifestações de opositores à sua candidatura a um terceiro mandato presidencial.

Presidente Nkurunziza sai mais forte desta tentativa golpista

Para Fidel Bafilemba, especialista sobre a região dos Grandes Lagos na organização “Enough Project” o presidente Nkurunziza saiu mais forte ao sobreviver à esta tentativa de golpe de Estado “mas tudo ainda não terminou. A divisão permanece no seio do exército e se o presidente cometer o erro de desencadear represálias de vingança só irá reforçar os riscos no seio do exército como da população."

Ouvir o áudio 03:04

Nkurunziza regressa a Bujumbura depois de fracassada a tentativa de golpe de Estado no Burundi

Segundo Fidel Balifenda, este fracasso na tentativa de golpe de Estado pode ser por enquanto considerado temporário por tres razões e explica:

"Houve um mau cálculo por parte dos golpistas nomeadamente na falta de preparação e de coordenação da ação; a desproporção em termos de armamento entre os golpistas e os militares que permaneceram fiéis ao presidente; finalmente e talvez a mais importante, a hipocrisia da comunidade internacional. Não se pode condenar um presidente que em todo caso violou a Constituição e ao mesmo tempo dar-lhe um certo apoio como está a acontecer."

Manifestações prosseguem em Bujumbura

Apesar do regresso de Pierre Nkurunziza ao Palácio presidencial, as manifestações da oposição a um terceiro mandato do presidente, recomeçaram esta sexta-feira, tendo a polícia disparado para o ar para dispersar os contestatários.

Burundi Proteste gegen den Präsidenten Nkurunziza

Manifestação em Bujumbura contra um terceiro mandato presidencial

As manifestações contra um terceiro mandato presidencial, desencadeadas nos finais de abril, tinham cessado com o anúncio da tentativa de golpe de Estado lançado na tarde de quarta-feira (13.05) pelo general Godefroid Niyombare. Mas nas primeiras horas desta sexta-feira, o líder do coletivo da sociedade civil contra o terceiro mandato, Vital Nshimirimana, apelou os manifestantes a irem para as ruas.

Os manifestantes continuam a considerar um terceiro mandato de Pierre Nkurunziza, já eleito em 2005 e 2010, como uma medida anticonstitucional e principalmente contrária aos acordos de reconciliação assinados em em Arusha (Tanzânia) que deram lugar à abertura para o fim da longa e mortífera guerra civil burundesa entre 1993 e 2006.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados