1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Presidente ucraniano, Volodimir Zelenski
Presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, diz não ter evidências de que um ataque russo ocorreráFoto: Ukrainian Presidential Press Office via AP/picture alliance
PolíticaUcrânia

Zelenski diz que alertas de invasão "não nos ajudam"

12 de fevereiro de 2022

Presidente ucraniano afirma que a situação no país está "sob controle" e relativiza informações americanas a respeito de possível ataque iminente da Rússia.

https://www.dw.com/pt-br/zelenski-diz-que-alertas-de-invas%C3%A3o-causam-p%C3%A2nico-e-n%C3%A3o-ajudam/a-60757774

O presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, disse neste sábado (12/02) que a situação no país está "sob controle" e pediu que os cidadãos ucranianos não entrem em pânico com o alerta dos Estados Unidos de um possível ataque iminente da Rússia.

"Como presidente, tenho que dizer a verdade à população. E a verdade é que temos informações diferentes. E agora o melhor amigo dos inimigos é o pânico em nosso país. E todas essas informações só ajudam o pânico e não nos ajudam", disse o governante em pronunciamento diante de jornalistas na região de Kherson, no sul do país.

Zelenski, que supervisionou exercícios militares ucranianos na região, declarou que não pode dizer se a Rússia atacará a Ucrânia nos próximos dias. "Não posso dizer se concordo ou discordo (com a análise dos EUA). Nós coletamos informações e as analisamos. Não é tão simples, e é por isso que não posso dar uma resposta simples", afirmou, ao ser perguntado sobre o alerta de Washington.

As declarações do presidente ucraniano vêm depois que o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, alertou que uma invasão "poderia acontecer a qualquer momento".

As autoridades ucranianas estão tentando minimizar as perspectivas de uma guerra total devido aos efeitos prejudiciais à economia já em dificuldades e à ordem pública no país.

Cobrança de evidências

Zelenski admitiu que a Rússia pode atacar "a qualquer dia", como fez em 2014 no leste do país, quando a Ucrânia não acreditou na possibilidade de invasão.

Por outro lado, insistiu na necessidade de "analisar todas as informações que temos, e são muitas" e cobrou evidências de uma possível invasão. "Se você ou outros tiverem informações adicionais sobre uma invasão 100% (garantida) da Ucrânia por parte da Federação Russa, me forneçam", acrescentou.

"Levamos todas as informações em conta e agradecemos, mas temos que analisar bem quaisquer dados, avaliar os riscos. Isso não começou ontem, isso começou em 2014, por isso estamos preparados", afirmou Zelenski.

"Temos que confiar em nossa própria força. Entendemos que estas coisas podem acontecer sem aviso prévio, portanto o mais importante é estarmos preparados para tudo. É exatamente nisso que estamos trabalhando. Estamos prontos para qualquer passo de qualquer lado, de qualquer fronteira", acrescentou.