Volks anuncia investimentos de 3,4 bilhões de euros no Brasil | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 04.10.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Volks anuncia investimentos de 3,4 bilhões de euros no Brasil

Anúncio foi feito em São Paulo pelo presidente mundial da montadora, Martin Winterkorn. O Brasil é um dos principais mercados para a Volkswagen.

Martin Winterkorn recebeu prêmio no Brasil

Martin Winterkorn recebeu prêmio no Brasil

A Volkswagen vai investir 3,4 bilhões de euros no Brasil nos próximos cinco anos, segundo anúncio feito na noite desta segunda-feira (03/11), em São Paulo, pelo presidente mundial da montadora, Martin Winterkorn.

Segundo ele, o Brasil é um dos mercados mais promissores para a empresa, e o investimento lança as bases para um crescimento sustentável da montadora no Brasil. O montante faz parte do total de 62,4 bilhões de euros que a Volkswagen vai investir em todo o mundo nos próximos cinco anos.

Segundo Winterkorn, no mais tardar em 2012 a montadora vai chegar à marca de 20 milhões de carros produzidos no Brasil. Ao lado da China, da Índia e da Rússia, o Brasil é um dos principais mercados mundiais para a Volks, a maior montadora da Europa.

O presidente mundial da Volks esteve em São Paulo para receber o prêmio Personalidade Brasil-Alemanha, que ele dividiu este ano com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

Nesta terça-feira (04/10), Winterkorn vai visitar a unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo, que foi inaugurada em 1959 e é a mais antiga da Volkswagen fora da Alemanha. Ele estará acompanhado do governador da Baixa Saxônia, David McAllister. A Baixa Saxônia é o estado alemão que abriga a sede mundial da Volks.

Renault

No entanto, a Volkswagen não é a única montadora a priorizar o Brasil. Nesta quinta-feira a Renault vai anunciar um investimento de 1,1 bilhão de euros na construção de uma nova unidade de Nissan no Rio de Janeiro, informa o jornal La Tribune. A capacidade de produção deverá chegar a 200 mil unidades por ano.

AS/dpa/dapd
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais