Venezuela retoma quarentena radical para conter coronavírus | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 04.07.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

América do Sul

Venezuela retoma quarentena radical para conter coronavírus

Com mais de 6.500 casos confirmados e 59 mortes, país sul-americano registra pressão de vizinhos como Brasil e Colômbia, onde propagação da covid-19 é exponencial.

Ministro da Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez

Ministro da Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, anunciou medidas

A Venezuela voltará à "quarentena radical" a partir desta segunda-feira (06/07), após uma semana de flexibilização em algumas regiões, informou o ministro da Comunicação Jorge Rodríguez.

Ao apresentar na sexta-feira o balanço diário da pandemia de covid-19 no país – que incluiu duas mortes e 264 novas infecções nas últimas 24 horas, totalizando 6.537 casos confirmados e 59 mortes –, Rodríguez ressaltou ser necessário "manter o cerco epidemiológico" para evitar a propagação da doença, que se multiplicou em junho.

Este retorno à quarentena faz parte do esquema "sete por sete", segundo o qual é aplicada uma semana de confinamento e outra de flexibilização. Em metade do território, contudo, o governo manteve a proibição de sair e circular, sem a semana de alívio, a fim de "cortar" focos de transmissão em várias regiões.

Os casos de covid-19 cresceram mais rapidamente nas últimas semanas devido à "pressão que a Venezuela está recebendo pelo crescimento exponencial" da doença em países vizinhos, afirmou Rodríguez. Brasil e Colômbia ultrapassam, respectivamente, 1,5 milhão e 109 mil casos.

Entre as infecções detectadas nas últimas 24 horas, 60 são "importadas", como o governo registra os venezuelanos que voltam para casa infectados e são mantidos durante semanas nas fronteiras terrestres.

Desse total "internacional", 48 casos são procedentes da Colômbia, quatro do Brasil, dois do Peru, um do Equador e os outros cinco são cidadãos que dentro da Venezuela tiveram "contato com viajantes internacionais" que foram infectados.

AV/efe,ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais