Veneza em alerta contra novas inundações | Notícias internacionais e análises | DW | 16.11.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Veneza em alerta contra novas inundações

Autoridades preveem tempestades e ventos fortes após nível da água atingir 1,54 metro e forçar fechamento da Praça de São Marco. Prefeito estima mais de um bilhão de euros em prejuízos na cidade histórica.

Praça de São Marco, ponto central de Veneza, teve de ser fechada por algumas horas em razão das inundações

Praça de São Marco, ponto central de Veneza, teve de ser fechada por algumas horas em razão das inundações

Veneza se prepara neste sábado (16/11) para um novo aumento das inundações que castigaram a cidade nos últimos dias e levaram as autoridades a declarar estado de emergência em toda a região.

Autoridades de proteção civil lançaram um alerta vermelho para a região de Veneza, chamando a atenção para a ocorrência de "ventanias violentas" na cidade. Os serviços de meteorologia preveem tempestades neste fim de semana, que, combinadas com a maré alta, poderão elevar perigosamente o nível da água.

Nesta sexta-feira, o prefeito Luigi Brugnaro chegou a ordenar por algumas horas o fechamento da Praça de São Marco, o ponto central da cidade, após a água voltar a subir e atingir 1,54 metro.

Esse volume era considerado de alto risco, apesar de estar abaixo da marca histórica de 1,87 metro registrada na última terça-feira – o nível mais alto em mais de meio século. Na manhã deste sábado, as águas estavam a 1,20 metro acima do nível do mar.

Igrejas, lojas e residências na cidade, declarada pela Unesco como patrimônio da humanidade, foram fortemente afetados pelas inundações, de intensidade bem maior do que as que normalmente ocorrem.

"Estamos falando de um bilhão de euros de prejuízos, e isso é somente em relação ao outro dia", disse o prefeito, se referindo a alta histórica da última terça-feira.

Turistas enfrentam a enchente em frente à Basílica de São Marco em Veneza

Turistas enfrentam a enchente em frente à Basílica de São Marco em Veneza

O governo na Itália liberou 20 milhões de euros para a reparação de danos. O ministro da Cultura, Dario Franceschini, afirmou que esta será uma tarefa árdua, enquanto mais de 50 igrejas foram afetadas. "Ver esses locais em primeira mão nos dá a sensação de que o desastre é muito maior do que vemos nas imagens de televisão", disse o ministro em visita à cidade.

O estado de emergência na cidade foi declarado na última quinta-feira pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte. Os moradores que tiveram suas casas atingidas poderão receber 5 mil euros em ajuda imediata do governo, enquanto somas de até 20 mil euros serão disponibilizadas para restaurantes e lojas.

Brugnaro anunciou a criação de um fundo de emergência para ajudar nas restaurações, para o qual qualquer pessoa na Itália e em todo o mundo poderá fazer doações. Assim como muitos outros na cidade, o prefeito atribui as inundações aos efeitos do aquecimento global.

Homens tomam vinho em rua inundada em Veneza. Prefeiro avalia prejuízos de mais de um bilhão de euros

Homens tomam vinho em rua inundada em Veneza. Prefeiro avalia prejuízos de mais de um bilhão de euros

A maior inundação já registrada em Veneza ocorreu em 1966, quando a chamada "acqua alta" atingiu o nível de 1,94 metro, o mais alto desde o início dos registros das enchentes, em 1923. A cidade histórica possui 50 mil habitantes e recebe anualmente em torno de 36 milhões de turistas.

As inundações dos últimos dias renovaram a discussão em torno do projeto Mose – Moisés, em italiano, e acrônimo de Módulo Experimental Eletromecânico – que consiste em comportas metálicas para proteger a cidade contra inundações, cujo planejamento e construção se arrastam há várias décadas.

Para conter as marés de tempestades, 78 comportas submersas deverão ser instaladas nas três entradas da laguna de Veneza. Elas são retráteis e, quando necessário, sobem até a superfície para evitar que a água do Mar Adriático inunde a cidade.

RC/afp/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais