Venda de ingressos no mercado negro ainda desafia Fifa | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 21.06.2006
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Venda de ingressos no mercado negro ainda desafia Fifa

Fifa fez o máximo para assegurar que nenhum torcedor saísse prejudicado. Entretanto, cada vez mais ingressos estão disponíveis no mercado negro.

default

A procura por ingressos de última hora é grande

Muitos torcedores contam com a sorte e se dirigem às portas dos estádios onde acontecem as partidas da Copa do Mundo na Alemanha a fim de conseguir ingressos de última hora. O preço do atraso acaba pesando no bolso.

Ingressos que, oficialmente, deveriam custar entre 45 e 100 euros estão sendo vendidos no mercado negro na faixa de 200 a 500 euros. Para a final da Copa, em Berlim, no dia 9 de julho, os preços chegam a 6 mil euros.

O mercado negro se mostrou um negócio organizado em moldes profissionais. Os negociantes dispõem de bicicletas e telefones celulares, possibilitando-lhes cobrir inteiramente a área ao redor dos estádios.

Não é proibido, mas arriscado

A polícia e a Fifa anunciaram que irão fiscalizar com maior rigor o comércio de ingressos para os jogos da Copa. Legalmente, a revenda não é proibida.

WM 2006 - Gesellschaft Tickets gesucht Suche Tickets Kartenverkauf Eintritskarten

Holandeses também se dispõem a pagar mais para entrar no estádio

"Nós só podemos alertar sobre a compra no mercado negro", diz Stephan Eiermann, um porta-voz do Comitê Organizador. Os ingressos são personalizados e por isso "podemos controlar muito bem a venda ilegal", ameaçou Eiermann.

Na prática, é impossível controlar cada torcedor que entra no estádio. Por jogo, de 500 a mil torcedores são escolhidos aleatoriamente e passam pela fiscalização, na qual têm que comprovar que foram os compradores originais, cujos nomes foram registrados pelo Comitê Organizador. Os torcedores que não passam na fiscalização, entretanto, ainda têm a possibilidade de registrar seus nomes num chamado "ponto de esclarecimento" e conseguem entrar nos estádios.

Executivo da Fifa também foi pego

Até um membro do Comitê Executivo da Fifa foi pego ao revender seus ingressos pelo triplo do preço. O ex-presidente da Associação de Futebol de Botswana, Ismail Bhamjee, admitiu que vendeu 12 tíquetes para a partida da Inglaterra contra Trinidad e Tobago, no dia 15 de junho, em Nurembergue, por 300 euros cada. Os ingressos haviam lhe custado 100 euros.

Bhamjee declarou-se "profundamente arrependido por seu ato incorreto" e se desculpou à Fifa por violar as regras da venda de ingressos. "É muito vergonhoso quando um alto membro do órgão está envolvido numa situação dessas", afirmou à imprensa Markus Siegler, diretor de comunicação da Fifa. "Isso coloca a organização em maus lençóis. Por outro lado, a Fifa provou que leva essas coisas muito a sério e agiu rapidamente." Bhamjee, que já retornou ao seu país, foi a primeira pessoa forçada a renunciar no Comitê Executivo da Fifa, nos 102 anos de história da federação.

Leia mais