Vídeo mostra suposta decapitação de alemão nas Filipinas | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 27.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Vídeo mostra suposta decapitação de alemão nas Filipinas

Imagens divulgadas por grupo extremista islâmico mostrariam execução de velejador sequestrado em novembro. Autoridades receberam relatos da morte após o prazo para pagamento de resgate se esgotar.

Policiais filipinos revistam embarcação de alemão, encontrada à deriva em novembro

Policiais filipinos revistam embarcação de alemão, encontrada à deriva em novembro

A organização extremista islâmica filipina Abu Sayyaf divulgou um vídeo nesta segunda-feira (27/02) que supostamente mostra a decapitação de Jürgen Kantner, velejador alemão de 70 anos, sequestrado em novembro pelo grupo.

Autoridades receberam relatos da morte no domingo, após o prazo para um pagamento de resgate ter sido esgotado.

O grupo divulgou o vídeo em grupos de bate-papo online de simpatizantes do "Estado Islâmico". Ele foi repostado pelo grupo Site, de monitoramento da militância radical. As imagens parecem mostrar Kantner caído em um gramado, enquanto com um homem segura uma faca em seu pescoço. "Agora eles vão me matar", diz o homem antes de ser morto.

O grupo extremista islâmico Abu Sayyaf reivindicou no começo de novembro o sequestro do alemão Jürgen Kantner, que velejava pelas águas da província de Tawi-Tawi, na Região Autônoma Muçulmana de Mindanau, no sul das Filipinas. A companheira dele, Sabine Merz, de 59 anos, foi baleada ainda a bordo.

O corpo da mulher foi encontrado por pescadores dentro do barco, encontrado à deriva. Uma arma, possivelmente a usada no crime, foi deixada ao lado do corpo. Segundo as Forças Armadas, os terroristas também deixaram para trás uma gravação confirmando a autoria dos crimes.

Após o sequestro, o alemão pediu ajuda repetidamente, em vídeos e mensagens de áudio, mais recentemente neste mês. O grupo Abu Sayyaf estaria ainda mantendo como reféns também um holandês, um coreano, assim como diversos indonésios, malaios, vietnamitas e filipinos.

No ano passado, o grupo extremista matou dois canadenses após os prazos de pagamentos de resgate se esgotarem. Em abril de 2014, a Abu Sayyaf sequestrou um casal de velejadores alemães. Os dois foram libertados meio ano depois, depois que a organização terrorista afirmou ter recebido um resgate equivalente a cerca de 4,4 milhões de euros. 
 

MD/rtr/dpa

Leia mais