UE prorroga sanções contra a Rússia por mais seis meses | Notícias internacionais e análises | DW | 14.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

UE prorroga sanções contra a Rússia por mais seis meses

União Europeia cita paralisação no processo de paz na Ucrânia para justificar decisão. Retaliações foram adotadas em julho de 2014 após queda de voo MH17 da Malaysia Airlines.

Bandeiras da Rússia e da UE

Sanções contra Rússia foram adotada em julho de 2014

Os líderes da União Europeia (UE) aprovaram nesta quinta-feira (14/12) a prorrogação por seis meses das sanções econômicas contra a Rússia devido ao envolvimento do país no conflito na Ucrânia e à paralisação de seu processo de paz.

 "A UE está unida na renovação das sanções econômicas contra a Rússia", afirmou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, no Twitter. 

As sanções, impostas em julho de 2014 após a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines, afetam os setores de energia, financeiro e defesa do país. A investigação sobre o desastre aéreo concluiu que o avião foi abatido por um míssil no leste da Ucrânia disparado por separatistas pró-Russia. Em resposta à retaliação, Moscou decretou um embargo sobre produtos agrícolas europeus.

O conflito na Ucrânia já provocou a morte de mais de 10 mil pessoas, apesar do acordo alcançado em Minsk, em 2015, que supostamente estabelecia uma trégua.

 A Ucrânia e os países ocidentais acusam a Rússia de apoiar os rebeldes separatistas no leste ucraniano, inclusive fornecendo-lhes armas. Moscou sempre negou as acusações.

CN/lusa/afp/ap

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais