UE esgota recursos naturais cada vez mais rápido | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 09.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Meio Ambiente

UE esgota recursos naturais cada vez mais rápido

Europeus utilizam até 20% da biocapacidade da Terra, apesar de serem apenas 7% da população mundial. O bloco gasta duas vezes mais recursos que seus ecossistemas conseguem repor.

Não há uma planeta B: protesto na Floresta de Hambach, um dos símbolos do desmatamento na Alemanha

"Não há uma planeta B": protesto na Floresta de Hambach, um dos símbolos do desmatamento na Alemanha

Os 28 países da União Europeia (UE) consomem os recursos da Terra em tempo mais rápido do que o necessário para que sejam repostos pela natureza, afirma um relatório divulgado nesta quinta-feira (09/05) pelas ONGs World Wide Fund (WWF) e Global Footprint Network.

O texto, divulgado na mesma data em que líderes europeus se reúnem para discutir as prioridades do bloco para os próximos cinco anos, também alerta para a falta de políticas de consumo sustentável.

"Todos os países da UE vivem além da capacidade do nosso planeta. A UE e seus cidadãos utilizam atualmente duas vezes mais [recursos] do que seus ecossistemas conseguem repor", afirma o relatório.

Os líderes europeus se reúnem na cidade romena de Sibiu para decidir sobre os rumos do bloco após a saída do Reino Unido. A proteção ao clima é uma das prioridades, mas as ideias referentes a ações concretas são diferentes entre os países, influenciados em grande parte pelas indústrias nacionais.

"A UE utiliza até 20% da biocapacidade da Terra, apesar de abranger apenas 7% da população mundial", diz o texto. Se a humanidade consumisse tanto quanto os europeus em termos de pesca, agricultura, silvicultura, construção ou o rastro de carbono, seriam necessários 2,8 planetas para garantir o abastecimento. "Isso está bem acima da média mundial atual, que é de 1,7 planeta", diz o texto.

As questões envolvendo o clima também são tema central das campanhas eleitorais que visam as eleições europeias entre os dias 23 e 26 de maio. A formação do novo Parlamento Europeu poderá ter grande influência sobre as instituições europeias e seus programas.

A Comissão Europeia defende que a UE se torne mais neutra em relação ao clima até 2050 através das reduções das emissões de carbono, para evitar um aumento nas temperaturas médias da Terra que poderá ter consequências devastadoras para a vida no planeta.

O relatório afirma que o menor e mais rico país do bloco, Luxemburgo, é o que gasta esses recursos com maior rapidez. Em apenas 46 dias após o inicio do ano, os luxemburgueses já teriam consumido toda sua fatia anual dos recursos naturais do planeta.

A Romênia, país mais pobre do bloco, é o que leva mais tempo para consumir sua parcela de produtos orgânicos, que chegariam até o dia 12 de junho.

Entretanto, os romenos ainda ficam atrás dos limites do consumo mundial, que no ano passado teria se esgotado no dia 1º de agosto, o chamado de overshoot day (algo como "dia da exacerbação dos limites", em tradução livre). A WWF observa que essa data ocorre mais cedo a cada ano. Em 1997, por exemplo, teria sido no final de setembro

"Se todas as pessoas no mundo tivessem as mesmas 'pegadas ecológicas' do que a média dos cidadãos europeus – emitindo a mesma quantidade de carbono, consumindo o mesmo tanto de comida, madeira e fibras e ocupando a mesma quantidade de espaço construído – o dia 10 de maio seria a data em que a humanidade teria usado tanto da natureza quanto o planeta conseguiria renovar durante um ano inteiro", diz o relatório.

"Pelo resto do ano, a humanidade teria que viver do esgotamento do capital natural da Terra", afirma o texto.

RC/rtr/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais