Twitter bloqueia populista de direita holandês | Notícias internacionais e análises | DW | 31.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Twitter bloqueia populista de direita holandês

Acusado frequentemente de promover ódio e xenofobia, Geert Wilders teria violado regras de conduta da rede social. Mensagem sobre partido rival gerou bloqueio.

Geert Wilders

Populista de direita holandês tem 811 mil seguidores no Twitter

O líder populista de direita holandês Geert Wilders afirmou nesta sexta-feira (31/05) que o Twitter bloqueou sua conta temporariamente após comentários que fez sobre um rival político.

Segundo Fluer Agema, uma integrante do Partido da Liberdade (PVV), de Wilders, o conteúdo da conta teria violado as regras da rede social sobre a conduta de ódio. A política afirmou que a suspensão ocorreu devido a uma mensagem postada sobre uma legenda de centro-esquerda.

Na mensagem, o político islamofóbico se referiu ao partido rival como "otários, que se importam sempre mais com o Islã e, depois choram lágrimas de crocodilo sobre as consequências, como assassinatos de honra".

Por ter recebido várias ameaças de morte, Wilders não pode aparecer facilmente em público e depende muito do Twitter para se comunicar com seus apoiadores. Com 811 mil seguidores, ele só perde para o primeiro-ministro, Mark Rutte, entre os políticos do país em número de seguidores.

Wilders criticou o bloqueio da conta. "O Twitter muitas vezes tolera ameaças de morte contra mim, mas não um tweet meu sobre um colega. Loucura", disse em comunicado.

A conta do populista foi bloqueada por cerca de oito horas. A mensagem do bloqueio afirmava que a medida ocorreu devido à promoção da violência ou ódio a outras pessoas por religião, nacionalidade, orientação sexual, entre outros.

Wilders, de 55 anos, é frequentemente acusado de promover o ódio e a xenofobia. Em 2016, ele foi condenado por discriminação após pedir durante um protesto para que seguidores gritassem "menos marroquinos" na Holanda. Atualmente, ele recorre da condenação.

O partido de Wilders sofreu uma grande derrota no domingo passado. Com um péssimo desempenho eleitoral, o PVV perdeu as quatro cadeiras que possuía no Parlamento Europeu.

CN/rtr/dw

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais