TV digital deixa na mão torcedores na Alemanha | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 31.05.2002
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

TV digital deixa na mão torcedores na Alemanha

França perder para Senegal não foi a única surpresa na abertura do mundial. TV digital alemã desistiu na última hora de transmitir abertura da Copa do Mundo e deixou as telas de cerca de um milhão de televisores vazias.

default

Na Alemanha, a festa de abertura em Seul não coloriu os televisores digitais

O torcedor que equipou-se com os televisores mais modernos do mundo especialmente para assistir à Copa do Mundo tem toda razão para se sentir lesado. Até poucas horas antes de França e Senegal entrarem em campo nesta sexta-feira, em Seul, as emissoras públicas ARD e ZDF prometiam transmitir também via digital os 24 jogos cujos direitos compraram para televisionamento por tevê aberta na Alemanha.

Porém, diante da ameaça de terem de indenizar com altas somas emissoras estrangeiras, que pagaram caro para transmitir apenas via digital e com exclusividade em seus países, a rede pública alemã desistiu de levar adiante seus planos.

TV aberta x TV por assinatura

A polêmica tem razões técnicas. Emitido via satélite, o sinal digital de uma emissora pode ser captado em grande parte do planeta. Por outro lado, a tecnologia permite que o sinal seja codificado e oferecido a um público selecionado. Somente quem possui um decodificador e normalmente uma assinatura paga (sistema pay-tv) consegue assistir à transmissão. Sustentada com taxas obrigatórias dos contribuintes, a rede ARD não codifica, nem cobra extra por suas transmissões digitais.

No caso da Copa do Mundo, emissoras pay-tv da Espanha, Noruega e Polônia temiam serem prejudicadas, pois os clientes em potencial poderiam captar as transmissões da rede ARD. A preocupação era especialmente na Espanha, onde grande número de alemães passa férias.

No entanto, apesar de seu contrato de 125 milhões de euros não prever a transmissão digital não codificada, as emissoras públicas alemãs insistiam na idéia, alegando que durante os jogos seu sinal não poderia ser captado – ou apenas com má qualidade – fora do território alemão. Além disto, elas estariam dispostas a arcar com eventuais despesas de indenização às concorrentes de outros países.

Espectadores furiosos - A festa de abertura da Copa em Seul já estava para começar quando a rede ARD comunicou a desistência de transmitir via digital. Estima-se em três milhões de pessoas o público da tevê digital na Alemanha. Os telefones na ARD não pararam de tocar. Muitos atendentes da emissora foram xingados por espectadores irritados com as sugestões de instalar uma antena normal em seus aparelhos digitais ou de ressuscitar seus velhos televisores analógicos para que possam assistir à Copa através da tevê aberta.

Segundo a ARD e a ZDF, "no último momento a KirchMedia (empresa que comprou da Fifa os direitos de transmissão dos jogos e os revendeu para emissoras de todo o mundo) pediu a garantia de indenizações incalculáveis". As emissoras públicas justificaram seu recuo, dizendo que não poderiam assumir o risco com dinheiro dos contribuintes.

A agência de notícias alemã DPA afirma que um advogado americano apresentou-se, nesta sexta-feira, como representante de várias emissoras da África do Norte, que prometiam cobrar alto pela quebra do contrato de exclusividade de transmissão na região.

Leia mais

Links externos