Tusk é reeleito presidente do Conselho Europeu | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Europa

Tusk é reeleito presidente do Conselho Europeu

Reunidos em Bruxelas, líderes da UE confirmam segundo mandato do político polonês, apesar da forte oposição do governo em Varsóvia. "Dedico-me verdadeiramente a uma Europa unida", diz Tusk.

Donald Tusk em Bruxelas

Donald Tusk, no primeiro dia da cúpula entre líderes europeus em Bruxelas

O ex-primeiro-ministro polonês Donald Tusk foi reeleito presidente do Conselho Europeu nesta quinta-feira (09/03), durante a cúpula dos líderes da União Europeia (UE) em Bruxelas.

A reeleição foi anunciada pelo primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, e depois confirmada por outras autoridades europeias em redes sociais. "Temos um presidente do Conselho Europeu. Boa sorte, Donald", disse Bettel em mensagem publicada no Twitter, junto a uma foto dele com Tusk.

Em postagem na mesma rede social, o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert‏, declarou que a chanceler federal, Angela Merkel, parabeniza Tusk pela vitória, mencionando a importância de "uma boa cooperação em tempos difíceis".

Também no Twitter, o político polonês agradeceu ao Conselho Europeu pela "confiança e avaliação positiva" e prometeu fazer o máximo possível para "deixar a UE melhor".

Segundo agências de notícias internacionais, a já aguardada reeleição de Tusk foi decidida em cerca de meia hora entre os líderes europeus, apesar da forte oposição do partido governista polonês Lei e Justiça (PiS). Nesta quinta-feira, a Polônia foi o único país a votar contra a reeleição de Tusk.

O político polonês reconheceu ser incomum enfrentar oposição de seu próprio país de origem, mas declarou que a votação atestou a unidade existente entre os países europeus.

"Pode soar como um paradoxo por causa do contexto, mas, de qualquer maneira, a decisão é uma demonstração da nossa atual união. Trabalharei com todos vocês, sem exceção, porque estou verdadeiramente dedicado a uma Europa unida", disse o político às autoridades europeias.

Mais tarde, em protesto pela reeleição de Tusk, o governo polonês ameaçou se opor à declaração final que deve ser emitida pelos líderes europeus ao fim da conferência em Bruxelas, embora isso não afete a votação que reelegeu o político.

Tusk, que se tornou presidente do Conselho Europeu em 1º de dezembro de 2014, foi eleito para assumir um segundo mandato de dois anos e meio, que vai até final de 2019. Ele é responsável por presidir as reuniões do órgão, bem como representar a UE em cúpulas internacionais, e terá grande importância nas futuras negociações do Brexit – a saída do Reino Unido do bloco europeu.

Cúpula europeia

A cúpula entre os líderes europeus em Bruxelas, que teve início nesta quinta-feira e tem duração de dois dias, deve ainda tratar de temas como segurança, economia e a crise migratória que afeta a Europa, analisando, por exemplo, planos para reduzir a migração ilegal da Líbia à Itália, que aumentou desde o ano passado. Também são esperadas negociações sobre novos pactos de livre comércio.

Nesta sexta-feira, o Conselho Europeu tem uma reunião marcada com a primeira-ministra britânica, Theresa May, com intuito de preparar uma "cúpula pela unidade", a ser realizada na Itália no dia 25 de março, aniversário de 60 anos da assinatura do Tratado de Roma, acordo de criação do bloco.

EK/afp/ap/efe/lusa/rtr/dw

Leia mais