TSE reafirma combate a notícias falsas | Eleições 2018 | DW | 21.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Eleições 2018

TSE reafirma combate a notícias falsas

Autoridades do Tribunal Superior Eleitoral afirmam preocupação com informações falsas que ponham em risco credibilidade de urna eletrônica. Ministro Raul Jungmann diz que PF tem tecnologia para identificar "fake news".

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber

Rosa Weber diz que fraudes em urnas eleitorais deixam "digitais"

A uma semana do segundo turno, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, falou em entrevista, neste domingo (21/10), sobre as medidas de combate à disseminação de notícias falsas (fake news) nas redes sociais.

Segundo o portal de notícias G1, além de Weber, estiveram presentes à entrevista os ministros Raul Jungmann, da Segurança Pública; Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; a advogada-geral da União; Grace Mendonça; os ministros do TSE Og Fernandes e Tarcísio Vieira de Carvalho Neto; o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques; e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia.

Falando neste domingo, Rosa Weber disse que a finalidade da entrevista foi manifestar a "crença de que a desinformação deliberada ou involuntária que sirva ao descrédito da Justiça Eleitoral há que ser combatida com informação responsável e objetiva".

A ministra afirmou que o sistema de urnas eletrônicas é auditável, acrescentou o portal G1, e que uma eventual fraude deixaria "digitais".

Segundo o G1, o ministro do TSE Tarcísio Vieira de Carvalho Neto informou que o tribunal jamais desprezou os efeitos das mensagens falsas, mas que está preocupado com a informação falsa que abala e coloca em risco a credibilidade da votação eletrônica.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, Tarcísio Meira de Carvalho falou que a Justiça Eleitoral recebeu 400 representações sobre propaganda irregular no processo eleitoral, das quais apenas 40 relativas a fake news.

Em seu discurso, o ministro afirmou que esses números seriam um indicativo que o trabalho preventivo do TSE contribuiu para "coibir ao máximo a proliferação de notícias falsas", escreveu a Folha.

A entrevista ocorre no momento de acirramento de acusações de fake news entre as campanhas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

De acordo com o G1, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que a Polícia Federal tem tecnologia e recursos para identificar, no Brasil e no exterior os que disseminam informações falsas. "Não existe anonimato na internet", declarou. Segundo ele, a PF encara "com seriedade" qualquer informação que receber.

CA/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais