1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Urna eletrônica
olsonaro e seus aliados atacam frequentemente as urnas eletrônicas e o TSEFoto: Cris Faga/picture alliance/NurPhoto

TSE exclui coronel de grupo de inspeção da urna eletrônica

8 de agosto de 2022

Decisão foi tomada após vir à tona que Ricardo Sant´Anna, designado pelo Ministério da Defesa para a equipe de inspeção dos códigos-fonte, fazia postagens nas redes sociais atacando o sistema eleitoral brasileiro.

https://p.dw.com/p/4FI4Y

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, enviou nesta segunda-feira (08/08) um ofício ao Ministério da Defesa comunicando ter descredenciado o coronel do Exército Ricardo Sant´Anna da equipe de técnicos designados para inspecionar os códigos-fonte da urna eletrônica e de todo o sistema eletrônico de votação.

Na semana passada, veio à tona que uma mensagem compartilhada pelo coronel chegou a ser rotulada como "fake news" pelo Facebook e que Sant´Anna costumava compartilhar conteúdo questionando a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro e atacando grosseiramente adversários políticos do presidente Jair Bolsonaro. As informações foram reveladas pela coluna de Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles, antes de o perfil do coronel ser apagado.

"Conforme apuração da imprensa, mensagens compartilhadas pelo coronel foram rotuladas como falsas e se prestaram a fazer militância contra as mesmas urnas eletrônicas que, na qualidade de técnico, este solicitou credenciamento junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fiscalizar", escreveram Fachin e o ministro Alexandre de Moraes, vice-presidente do TSE e que também assina o ofício.

Os dois frisaram que o credenciamento de técnicos para inspecionar os códigos do sistema eletrônico de votação precisa levar em consideração "a necessidade de segurança e de isenção dos que se arvoram como fiscalizadores", conforme disposto em resolução aprovada no ano passado pelo plenário da Corte.

"A posição de avaliador da conformidade de sistemas e equipamentos não deve ser ocupada por aqueles que negam prima facie [à primeira vista] o sistema eleitoral brasileiro e circulam desinformação a seu respeito", acrescenta o texto.

Posições pessoais não interferem, diz Ministério da Defesa

Em nota oficial, o Ministério da Defesa afirmou que o trabalho da equipe das Forças Armadas no âmbito da fiscalização do sistema eletrônico de votação é "técnico" e "estritamente institucional". "Assim, não há interferência das posições pessoais dos integrantes no trabalho da equipe", diz o texto.

A pasta também afirma que "já no fim de semana passado o Exército havia decidido selecionar um novo integrante para a equipe em substituição ao atual" e ressalta que o TSE será informado assim que um substituto for definido.

Desde outubro do ano passado, a inspeção da urna e dos códigos-fonte dos sistemas de votação pode ser feita por dezenas de entidades, incluindo as Forças Armadas, em uma sala designada na sede do TSE.

Técnicos das Forças Armadas designados pelo Ministério da Defesa realizam o procedimento desde a última quarta-feira, após a pasta pedir acesso aos códigos-fonte com caráter "urgentíssimo".

O que diziam as postagens do coronel

De acordo com a coluna de Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles, antes de ser apagado, o perfil do coronel Ricado Sant´Anna no Facebook seguia à risca a cartilha do bolsonarismo, com posts grosseiros de ataques a adversários e questionamentos à confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro.

Em um dos posts, ele compartilha um vídeo que compara o exercício do voto à compra de um bilhete de loteria. "Pra quem não entendeu ainda a briga contra esse sistema que nenhum país desenvolvido adotou, SÓ NÓS, então, se ainda confia no sistema, é achar que está tudo certo, então aceite a aposta na lotérica do jeito que está nessa sátira… pra despertar o ÓBVIO!!!!", diz a legenda.

Em outra postagem, Sant'ana questionava os resultados de pesquisas eleitorais. "Votar no PT é exercer o direito de ser idiota", dizia uma imagem compartilhada pelo coronel.

Em um comentário em uma postagem em que a candidata ao Planalto Simone Tebet(MDB) defende que mulheres votem em mulheres, o coronal volta a ser agressivo: "Vaca vota em vaca”, escreveu.

Bolsonaro e seus aliados atacam frequentemente as urnas eletrônicas e o TSE, acusando as eleições brasileiras de serem fraudadas. No entanto, nunca ninguém apresentou nenhuma prova das acusações.

No mês passado, Bolsonaro reuniu dezenas de diplomatas estrangeiros no Palácio da Alvorada para fazer uma apresentação de mentiras sobre o sistema de votação brasileiro, atacar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do TSE. 

A menos de três meses do primeiro turno das eleições, o evento exibiu fotos de Bolsonaro cercado de apoiadores e resumiu teorias fantasiosas sobre as urnas eletrônicas que vêm sendo repetidas pelo presidente e seus apoiadores desde pelo menos a eleição de 2018.

le (Agência Brasil, ots)

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado

Conteúdo relacionado