Trump parabeniza Putin por reeleição | Notícias internacionais e análises | DW | 20.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Trump parabeniza Putin por reeleição

Em telefonema, presidentes conversam sobre possível encontro e concordam em coordenar esforços para evitar corrida armamentista. Ligação ocorre cinco dias após EUA anunciarem sanções contra a Rússia.

Donald Trump e Vladimir Putin

Trump e Putin durante a cúpula do G20 em Hamburgo, em julho de 2017

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, telefonou nesta terça-feira (20/03) a seu homólogo russo, Vladimir Putin, para parabenizá-lo pela reeleição, conquistada no domingo passado. A ligação ocorreu cinco dias após os EUA anunciarem novas sanções contra a Rússia devido à suposta ingerência do país nas eleições presidenciais americanas de 2016.

"Liguei para o presidente Putin e o parabenizei pela vitória eleitoral", afirmou Trump. "A ligação teve relação com o fato de que provavelmente nos encontraremos num futuro não muito distante", acrescentou.

Leia também: Como Putin chegou ao poder e nele se perpetua

O Kremlin confirmou que os presidentes discutiram a possibilidade de um encontro. "Os líderes se pronunciaram a favor do desenvolvimento de uma cooperação prática em diferentes esferas, o que inclui a necessidade de garantir a estabilidade estratégica e a luta contra o terrorismo internacional", acrescentou em comunicado.

Assistir ao vídeo 01:12

Putin: "Você acha que ficarei aqui até os cem anos?"

O Kremlin divulgou também que Putin e Trump falaram das agendas bilateral e internacional, incluindo a necessidade de conseguir avanços urgentes na resolução dos conflitos na Síria e na Ucrânia. Os líderes teriam concordado, em particular, sobre "a importância de coordenar os esforços para evitar uma corrida armamentista".

Quanto à crise norte-coreana, Putin e Trump expressaram satisfação pela "certa redução da tensão" ocorrida na península e consideraram conveniente prosseguir com os esforços para solucionar o problema por "meios pacíficos e diplomáticos". Os líderes também trocaram opiniões sobre "cooperação econômica" e mostraram interesse na ativação dos intercâmbios comerciais.

"Em geral, a conversa teve um caráter construtivo e esteve dedicada a superar os problemas que foram acumulados nas relações russo-americanas", ressaltou a nota oficial.

Um dos últimos

Trump foi um dos últimos líderes de potências mundiais a felicitar Putin por sua histórica vitória nas eleições presidenciais de domingo, quando foi reeleito para um quarto mandato de seis anos com mais de 76% dos votos.

Em meio a novas tensões entre as potências diante do envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha no Reino Unido e às novas sanções contra Moscou aplicadas por Washington, não era esperado que Trump fosse parabenizar Putin.

No telefonema desta terça, os presidentes não conversaram sobre o caso Skripal, segundo o Kremlin informou posteriormente. O Reino Unido acusa Moscou de estar por trás do envenenamento. A Rússia nega. A primeira-ministra britânica, Theresa May, ainda não felicitou Putin.

Na última quinta-feira, Washington impôs novas sanções a cinco entidades e 19 indivíduos da Rússia, acusando Moscou de interferir nas eleições americanas e promover ataques cibernéticos contra os EUA. Em reação, o Kremlin disse que estava preparando medidas de retaliação.

CN/efe/rtr/lusa/afp

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados