Três morrem em ataque a palácio na Arábia Saudita | Notícias internacionais e análises | DW | 07.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Três morrem em ataque a palácio na Arábia Saudita

Homem armado com fuzil de assalto disparou contra guardas. Dois militares e agressor estão entre os mortos.

Saudi Arabien Dschidda (Getty Images/AFP/K. Saad)

A cidade de Jedá, na Arábia Saudita.

Dois guardas de um palácio da família real saudita em Jedá, no oeste do país, morreram neste sábado (07/10) após um homem ter efetuado disparos. O episódio foi confirmado pelo Ministério do Interior da Arábia Saudita, que apontou que o agressor foi morto por outros militares que faziam a segurança do local.

Segundo a rede Al Arabiya, o ataque ocorreu às 15h15 no horário local (9h15 em Brasília). Um homem se dirigiu até o porto do palácio e começou a disparar. Na troca de tiros, dois guardas morreram e três ficaram feridos. 

O agressor foi identificado como Mansour bin Hassan bin Ali al-Fahid al-Amiri, um cidadão saudita de 28 anos. Junto ao corpo dele foi encontrado um fuzil de assalto Kalashnikov.

O ministério do Interior também identificou os guardas mortos: o sargento Hammad bin Shallah al-Mutairi e o soldado Abdullah bin Faisal al-Subaie.

O governo saudita não informou se o ataque tem alguma relação com grupos terroristas. Nos últimos anos, o país foi palco de vários ataques de grupos como a rede Al-Qaeda e o Estado Islâmico (EI), que tiveram como alvos a comunidade xiita do país. Centenas de cidadãos sauditas também viajaram à Síria para se juntar aos vários grupos jihadistas que lutam na guerra civil.

JPS/ots

Leia mais