Terremoto deixa centenas de mortos no México | Notícias internacionais e análises | DW | 20.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Terremoto deixa centenas de mortos no México

Tremor de magnitude 7,1 ocorre no aniversário de sismo devastador de 1985. Prédios na capital são destruídos, enquanto cidadãos e equipes de resgate buscam por vítimas. Autoridades falam em mais de 230 mortos.

Terremoto na Cidade do México

Moradores recolhem escombros na Cidade do México

Um terremoto de magnitude 7,1 atingiu o centro e a capital do México nesta terça-feira (19/09), causando pânico na megalópole de 20 milhões de habitantes justamente no dia que marca o 32º aniversário do devastador tremor de 1985. Mais de 230 pessoas morreram, segundo o governo.

A maior parte das mortes (100) se concentra na Cidade do México. Houve vítimas também no estado de Morelos (69), Puebla (43), no estado do México (13), Guerrero (4) e Oaxaca (1).

Assistir ao vídeo 03:32

Como se formam os terremotos

O número pode aumentar ainda mais, na medida em que as buscas por vítimas continuam. Há dezenas de prédios destruídos, e em alguns deles autoridades estimam que existam pessoas soterradas.

"A prioridade neste momento é continuar o resgate de quem ainda está preso e dar atendimento médico aos feridos", disse o presidente do México, Enrique Peña Nieto, em mensagem em cadeia nacional.

O líder decretou nesta quarta-feira três dias de luto nacional em homenagem às vítimas da tragédia. "O México compartilha sua dor", escreveu a presidência do México em rede social.

O terremoto é o mais mortal a atingir o país desde o sismo de 1985, que matou milhares de pessoas. Ele ocorre menos de duas semanas após outro forte tremor, de magnitude 8,2, que deixou 90 mortos no sul mexicano no início do mês.

O tremor de terça-feira levou milhares de pessoas a abandonarem edifícios empresariais e deixou o trânsito parado no centro da Cidade do México. Imagens divulgadas pela mídia mexicana e em redes sociais mostram prédios danificados e ruindo e ruas cobertas de escombros. Partes da cidade ficaram sem energia elétrica e sinal de telefone.

O prefeito da Cidade do México, Miguel Ángel Mancera, informou que muitas pessoas ficaram presas nos escombros de edifícios que ruíram, embora o número ainda não esteja claro. Segundo o político, prédios caíram ou sofreram danos sérios em pelo menos 45 áreas da capital.

A busca por sobreviventes segue principalmente na escola Enrique Rébsamen, na Cidade do México, onde morreram ao menos 37 pessoas, sendo 32 crianças e cinco adultos, segundo números oficiais. Até o momento, 14 pessoas foram resgatadas com vida.

O aeroporto internacional da Cidade do México chegou a suspender suas atividades para que verificações em sua infraestrutura pudessem ser feitas. Ao menos 180 voos foram afetados. O aeroporto voltou a operar parcialmente por volta das 16h (hora local) de terça-feira.

O presidente mexicano ativou o plano de emergência do país, que permite que as autoridades acelerem a resposta de urgência em situações de maior gravidade.

"Faço um respeitoso apelo à população para que mantenhamos a serenidade e estejamos atentos aos chamados e aos alertas e recomendações da Defesa Civil", declarou o líder, que se dirigia ao estado de Oaxaca no momento do sismo, mas decidiu voltar à capital para acompanhar a situação.

Prédio na Cidade do México parcialmente destruído após terremoto

Tremor danificou uma série de prédios na capital mexicana

Segundo o Serviço Geológico dos EUA, o tremor de magnitude 7,1 foi registrado às 13h14 (hora local) e teve seu epicentro perto da cidade de Raboso, no estado de Puebla, cerca de 120 quilômetros a sudeste da capital mexicana. A profundidade foi de 51 quilômetros.

Mais cedo nesta terça-feira, exercícios de preparação para tremores haviam sido realizados em prédios da Cidade do México para marcar o aniversário do terremoto de 1985, de magnitude 8,1.

EK/LPF/ap/afp/dpa/efe/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados