Terremoto atinge Afeganistão e Paquistão | Notícias internacionais e análises | DW | 26.12.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Terremoto atinge Afeganistão e Paquistão

Tremor de magnitude 6.2, com epicentro no nordeste afegão, deixa ao menos quatro mortos e dezenas de feridos nos dois países e é sentido também na Índia.

Feridos são atendidos num hospital de Peshawar, no Paquistão

Feridos são atendidos num hospital de Peshawar, no Paquistão

Um terremoto de magnitude 6.2, com epicentro na região montanhosa do Hindu Kush, atingiu o Afeganistão e o Paquistão, danificando prédios e deixando ao menos quatro pessoas mortas e cerca de cem feridas na noite desta sexta-feira (25/12).

No Paquistão, três pessoas morreram e 83 ficaram feridas na região de Khyber Pakhtunkhwa, disse um porta-voz da Autoridade de Gestão de Desastres dessa província.

Na região vizinha de Gilgit-Baltistão, uma mulher morreu e cinco crianças ficaram feridas no distrito de Ghizer quando um deslizamento de terra causado pelo terremoto atingiu sua casa, acrescentou o porta-voz.

No Afeganistão, ao menos 12 pessoas ficaram feridas no centro da província de Nangarhar, disse um porta-voz do governo provincial, acrescentando que quatro dos feridos se encontravam em estado crítico.

O porta-voz do Ministério de Gestão de Desastres afegão, Omar Mohammadi, disse à agência de notícias Efe que apenas quatro casas ficaram destruídas no distrito de Tala wa Bargak, na província de Baghlan, mas sem vítimas.

O tremor foi registrado a uma profundidade de 203 quilômetros, no nordeste do Afeganistão, perto da fronteira com o Paquistão e o Tadjiquistão, anunciou o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O abalo, com epicentro na província de Badakhshan, a cerca de 280 quilômetros a nordeste da capital afegã, Cabul, aconteceu nesta sexta-feira, às 23h44 (horário local). O tremor também foi sentido na Índia.

Em outubro, um terremoto de magnitude 7.5 foi sentido em todo o Paquistão e no Afeganistão, causando cerca de 400 mortos.

AS/lusa/afp/efe

Leia mais