Suíços querem limitar entrada de imigrantes no país | Notícias internacionais e análises | DW | 09.02.2014

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Suíços querem limitar entrada de imigrantes no país

Nas urnas, 50,3% da população dizem "sim" à proposta de partido populista de direita contra a "imigração em massa" na Suíça. Principais afetados serão cidadãos europeus. Acordos com a UE agora devem ser renegociados.

Por uma maioria bastante apertada, apenas 50,3%, os suíços aprovaram neste domingo (09/02) a iniciativa "contra a imigração em massa", proposta pelo populista de direita Partido Popular Suíço (SVP), que pretende limitar o número de imigrantes no país. O governo em Berna tem agora um prazo de três anos para elaborar regras mais rígidas a fim de coibir a fixação de estrangeiros na Suíça, medida que deverá afetar principalmente cidadãos da União Europeia (UE).

O governo também deverá realizar mudanças no acordo de livre circulação de pessoas, assinado em 1999 com a União Europeia. Não existem números concretos sobre o limite da imigração. A iniciativa prevê, no entanto, que o contingente migratório deve considerar "os interesses econômicos" do país.

Em Bruxelas, a UE já havia anunciado que não iria aceitar uma infração de acordos vigentes. Por esse motivo, a Comissão Europeia já colocou em questão o acesso privilegiado da Suíça ao mercado único do bloco.

Bastante popular

Desde que o acordo de livre circulação de pessoas entre a Suíça e a UE entrou em vigor, no ano de 2002, cerca de 80 mil cidadãos do bloco europeu vêm se estabelecendo anualmente na Suíça – dez vezes mais do que o esperado pelo governo em Berna.

Atualmente, a república alpina conta com 8,1 milhões de habitantes e uma porcentagem de estrangeiros que gira em torno de 25% – cifra três vezes maior do que a da Alemanha. Aproximadamente 1,25 milhão dos estrangeiros na Suíça são provenientes de países da UE. A maioria vem da Itália e da Alemanha.

O SVP, o partido mais forte no Parlamento, acusa o governo de ter perdido o controle sobre as regras de imigração. Isso teria levado a consequência fatais, afirma o SVP, como baixos salários para trabalhadores locais, sobrecarga dos sistemas de saúde, educação, transporte, como também à falta de moradias, urbanização exacerbada e uma queda generalizada da qualidade de vida.

No entanto, a imigração de mão de obra especializada vinda de países próximos, juntamente com a vantajosa norma que garante livre acesso das empresas suíças ao gigantesco mercado europeu, são considerados os principais fatores que impulsionaram o crescimento econômico da Suíça nos últimos anos. Metade das exportações do país tem como destino países da UE.

CA/afp/dpa

Leia mais