Seleções de peso têm treinadores contestados | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 06.11.2005
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Seleções de peso têm treinadores contestados

Técnicos da Alemanha, Espanha, França e Inglaterra têm trabalhos contestados, faltando poucos meses para o início da Copa.

default

Sueco Sven Göran Eriksson, da seleção inglesa, enfrentou a crise

O técnico alemão Jürgen Klinsmann não é o único comandante de seleção considerada importante na Europa que está na alça de mira dos críticos. Ele tem a companhia dos colegas da Espanha, Inglaterra e França, que estão trabalhando sob pressão nestes últimos meses que antecedem a Copa do Mundo.

Raymond Domenech - Nationaltrainer Frankreich

Raymond Domenech, da França

Klinsmann chegou ao atual cargo como herói da seleção campeã da Copa do Mundo de 1990 e como a grande esperança para resgatar o prestígio do futebol alemão após a desastrosa campanha da Eurocopa 2004, sob o comando de Rudi Völler. No entanto, o "menino de ouro de 90" teve seus métodos extremamente questionados após apresentações consideradas insatisfatórias, por exemplo contra a Eslováquia, a China e a Turquia.

A chuva de críticas também atinge outros países europeus. O técnico da seleção inglesa, Sven Göran Eriksson que o diga. Apesar de ter conseguido classificar a equipe para o mundial, ele passou por fases de instabilidade durante toda a campanha. O momento considerado como de profunda crise foi vivido pelo técnico após a Inglaterra cair diante da Irlanda do Norte em Belfast, por 1 a 0.

"Muitos acreditam que eu deveria pedir demissão amanhã, mas nós seremos campeões do nosso grupo. Temos uma excelente equipe, a melhor desde que eu vim para este país (Inglaterra). Eu seria um péssimo técnico, um profissional terrível, se eu pedisse demissão amanhã.", dizia o sueco na ocasião. A Inglaterra terminou em 1º lugar do Grupo 6, que contava ainda com Polônia, Áustria, Irlanda do Norte, País de Gales e Azerbaidjão.

O caso francês

Jürgen Klinsmann Deutsche Fußballnationalmannschaft vor Landesspiel gegen China

Klinsmann, pressionado principalmente por técnicos da Bundesliga

Outro técnico que já garantiu a vaga no mundial, mas também balançou bastante nas eliminatórias, foi o francês Raymond Domenech. A revista France Football dava um veredicto um tanto implacável, apesar da campanha da seleção não ser tão ruim. "Mesmo se a França se classificar para a Copa do Mundo, ainda pairam grandes dúvidas sobre o seu lugar na seleção e sua forma de gerenciar o time", publicou a revista, disparando contra Domenech.

Apesar disso, o treinador pôde encontrar algum conforto antes mesmo da partida final contra Chipre, quando a França goleou por 4 a 1. Em uma pesquisa de opinião feita pelo Le Journal, 79% dos entrevistados acreditavam que ele deveria permanecer no cargo. A França também terminou em 1º lugar do Grupo 4 das eliminatórias européias, após disputar com a Suíça, Israel, Irlanda, Chipre e Ilhas Faroe.

Luis Aragones - Nationaltrainer Spanien

Luis Aragones

Mas a pior situação no momento entre o grupo de treinadores das mais expressivas seleções européias é a do espanhol Luis Aragones. Ele, que esteve no ano passado constantemente sob pesadas críticas por ter sido autor de comentários considerados racistas contra o francês Thierry Henry, agora tem o seu trabalho contestadíssimo pela penosa campanha da seleção espanhola nas eliminatórias.

Os próximos dias são de extrema tensão e trabalho para Aragones, que precisa bater a Eslováquia em dois jogos pela repescagem, no próximo sábado (12/11) e no dia 16 de novembro. A Espanha foi a 2ª colocada do grupo 7, atrás de Sérvia e Montenegro.

Leia mais