Referendo garante construção do polêmico projeto Stuttgart 21 | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 28.11.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Referendo garante construção do polêmico projeto Stuttgart 21

Maioria dos votantes diz "sim" ao projeto ferroviário que prevê uma estação central subterrânea em Stuttgart e é estimado em 4,5 bilhões de euros. Governo estadual garante que vontade popular será respeitada.

default

Kretschmann vai assegurar direito de construção da obra

O polêmico projeto ferroviário Stuttgart 21 agora conta com apoio popular para ser construído. O resultado do referendo feito neste domingo (27/11) no estado alemão de Baden-Wüttemberg mostrou que 58,8% dos que votaram são a favor da bilionária obra de reestruturação e 41,2% são contra.

O projeto vai transformar o terminal ferroviário central de Stuttgart numa estação subterrânea. Um túnel vai conectar linhas rápidas de trem que devem ligar, futuramente, Budapeste a Paris.

O governador Winfried Kretschmann, do Partido Verde, um dos principais opositores do projeto, reconheceu a derrota e disse que a vontade popular será respeitada. Ele alertou, porém, para os riscos financeiros da construção, estimada em 4,5 bilhões de euros, e afirmou que o estado não vai assumir custos acima do previsto.

"O limite dos gastos (da parte do estado) permanece. Nós não iremos pagar mais", comentou. Baden-Wüttemberg deve contribuir com 930 milhões de euros, cerca de um quinto do gasto total.

Segundo dados oficiais, 48,3% dos eleitores de Baden-Wüttemberg votaram no referendo, um índice de abstenção maior do que o registrado nas eleições de março, quando Kretschmann se tornou o primeiro governador na história do Partido Verde.

Longa polêmica

Wolfgang Dietrich, porta-voz de Stuttgart 21, comemorou a aprovação e disse que ela será decisiva caso a obra custe mais do que o previsto. "Todos querem o projeto: o povo, os partidos, o sistema ferroviário. Encontraremos uma solução. Também o estado deve fazer a sua parte caso os custos aumentem."

Nos últimos dois anos, o projeto ferroviário provocou uma onda de protestos na capital, com choques violentos entre polícia e ativistas. A principal queixa dos manifestantes é contra o elevado custo da obra e interesses imobiliários envolvidos na reestruturação do local.

A porta-voz dos oposicionistas, Brigitte Dahlbender, afirmou que a manifestação programada para esta segunda-feira será mantida. Segundo a ativista, o grupo irá primeiro discutir a situação antes de programar novas ações. Ela disse que o resultado do referendo provavelmente infuenciará a posição dos manifestantes contrários ao projeto.

Empresários que participam do projeto Stuttgart 21 contam com uma redução da oposição, agora que o projeto mostrou ter o apoio da maioria dos cidadãos.

As obras no local devem começar em 15 de janeiro. Segundo o planejamento, o primeiro trem deve cruzar a estação subterrânea de Stuttgart no começo de 2019. Sobre o desgaste da imagem da empresa Deutsche Bahn com a onda de manifestações, um porta-voz afirmou que "todos aprenderam" com o caso. Ele afirmou que a comunicação será mais aberta, e que "um agravamento do conflito não deve se repetir".

NP/dpa/rtr
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais