Rainha Elizabeth recebe Joe Biden no Castelo de Windsor | Notícias internacionais e análises | DW | 13.06.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Rainha Elizabeth recebe Joe Biden no Castelo de Windsor

Durante visita, monarca perguntou a presidente americano sobre Xi Jinping e Vladimir Putin. Casa Branca diz que Biden vai reforçar aliança transatlântica em reunião da Otan em Bruxelas.

Presidente Joe Biden e primeira-dama Jill Biden com a rainha Elizabeth

Presidente Joe Biden e primeira-dama Jill Biden com a rainha Elizabeth: 13.º presidente dos EUA a estar com a monarca

A rainha Elizabeth 2a recebeu neste domingo (13/06) o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a sua mulher, Jill Biden, no Castelo de Windsor, uma das residências da realeza, localizado a oeste de Londres. O encontro ocorreu após o encerramento da cúpula do G7, realizada no sudoeste da Inglaterra.

O casal chegou no helicóptero presidencial Marine One, sendo recebido pela monarca em frente ao castelo, antes de presenciar uma cerimônia militar com a tradicional inspeção das tropas.

Depois, a rainha, de 95 anos, recebeu o presidente americano, de 78 anos, e a primeira-dama, de 70 anos, para um chá.

Biden, que faz sua primeira viagem internacional após ser empossado em janeiro passado, é o 13.º presidente dos Estados Unidos que a chefe de Estado britânica conhece dos 14 que serviram durante seu reinado de 69 anos, com exceção de Lyndon Johnson.

Pergunta sobre Xi e Putin

Segundo a BBC, a audiência privada do casal Biden com a rainha durou cerca de 40 minutos.

No aeroporto de Heathrow, Biden falou com a imprensa sobre o encontro com a rainha, dizendo que ela foi "muito graciosa'' e que Elizabeth perguntou a ele sobre o presidente russo, Vladimir Putin e o chinês, Xi Jinping, e que ele a havia convidado para visitar a Casa Branca. "Não acho que ela vai se sentir insultada, mas ela me lembrou minha mãe'', afirmou Biden.

Joe Biden seguiu para Bruxelas, onde chegou na noite desse domingo, para reuniões com líderes da Otan e da União Europeia antes de uma cúpula com o presidente russo, Vladimir Putin, na quarta-feira, em Genebra.

"Compromisso claro com Otan"

De acordo com a Casa Branca, Biden quer assumir um compromisso claro com a aliança transatlântica em sua primeira cúpula da Otan, programada para esta segunda-feira.

"Durante a cúpula, o presidente vai reforçar o vínculo transatlântico duradouro com a Otan", anunciou a Casa Branca neste domingo, acrescentando que o mandatário quer ressaltar também, "o compromisso férreo dos Estados Unidos com o Artigo 5°" para a defesa coletiva. "Um ataque a um é um ataque a todos e será revidado com uma resposta coletiva."

A Casa Branca afirmou também que os aliados querem, na reunião "lançar um ambicioso pacote de iniciativas para garantir que a Otan possa oferecer segurança a nossos cidadãos até 2030 e além disso".

Com suas mensagens sobre a Otan, Biden se distancia de seu antecessor Donald Trump, que ameaçou tirar os EUA da aliança. Biden quer normalizar o relacionamento com os parceiros da Otan.

MD (Lusa, DPA, AFP, AP, EFE)

Leia mais