1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
A atriz russa Yulia Peresild
Protagonista do drama espacial, a popular atriz russa Yulia Peresild, de 36 anos, será uma das passageirasFoto: Valery Sharifulin/TASS/dpa/picture alliance/

Rússia vai enviar equipe para rodar primeiro filme no espaço

13 de maio de 2021

Atriz e diretor russos têm viagem marcada para a Estação Espacial Internacional em outubro. Agência espacial anuncia ainda que enviará bilionário japonês para voo turístico ao espaço em dezembro.

https://www.dw.com/pt-br/r%C3%BAssia-vai-enviar-equipe-para-rodar-primeiro-filme-no-espa%C3%A7o/a-57522296

A Rússia anunciou nesta quinta-feira (13/05) que vai enviar uma atriz e um diretor de cinema à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) para filmarem o primeiro longa-metragem no espaço. Outro passageiro a deixar a Terra será um excêntrico bilionário japonês.

Com a iniciativa, Moscou tenta dar nova vida a seu programa espacial há muitos anos estagnado, em meio a escândalos de corrupção e a concorrência da empresa SpaceX, do americano Elon Musk.

A agência espacial da Rússia, Roscosmos, disse que o "drama espacial" contará com a popular atriz russa Yulia Peresild, de 36 anos, e Klim Shipenko, um diretor e ator de 37 anos. Eles serão os protagonistas "do primeiro filme de ficção no espaço", afirmou a agência.

Ambos terão que passar por uma série de treinamentos, incluindo testes em centrífuga (para testar efeitos equivalentes à aceleração da gravidade) e voos em gravidade zero, que deverão começar no mais tardar em 1º de junho. A viagem está prevista para outubro.

O filme, cujo título provisório é Desafio, está sendo coproduzido pelo ambicioso chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, e pela emissora estatal russa Piervy Kanal.

O anúncio da Rússia vem depois de a agência espacial americana, Nasa, ter confirmado no ano passado que se uniu ao ator Tom Cruise para também fazer um filme na ISS.

Bilionário japonês

Também nesta quinta-feira, a Roscosmos divulgou que pretende levar o bilionário japonês Yusaku Maezawa à Estação Espacial Internacional em dezembro, ressuscitando seu programa de turismo espacial, diante da competição dos Estados Unidos.

Maezawa, de 45 anos, que fez fortuna no varejo online, afirmou que pretende documentar a missão e compartilhá-la com os mais de 700 mil inscritos em seu canal no YouTube."Estou tão curioso, como é a vida no espaço? Portanto, estou planejando descobrir por conta própria e compartilhar com o mundo", disse ele à Roscosmos.

Segundo a agência, o bilionário japonês fará o voo a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, ao lado do assistente de produção Yozo Hirano.

A bordo de uma espaçonave Soyuz MS-20, a viagem está marcada para 8 de dezembro e terá duração de 12 dias. A tripulação será comandada pelo cosmonauta Alexander Misurkin, que já esteve em duas missões a bordo da ISS. Essa será a primeira vez em que dois dos três lugares de um foguete espacial Soyuz serão ocupados por turistas.

Ao todo, oito passageiros espaciais autofinanciados já visitaram a Estação Espacial, e Maezawa será o primeiro do Japão. O último turista a visitar a ISS foi o canadense Guy Laliberté, cofundador do Cirque du Soleil, em 2009.

Segundo a revista Forbes, turistas espaciais podem pagar entre 20 milhões e 35 milhões de dólares por pessoa para ficarem de 8 a 12 dias no espaço. O custo do voo de Maezawa não foi divulgado.

Programa espacial russo

A indústria espacial da Rússia sofreu uma série de contratempos nos últimos anos, desde escândalos de corrupção até uma decolagem abortada durante uma missão tripulada em 2018.

O país ainda perdeu, no ano passado, o monopólio dos voos tripulados ao espaço que detinha desse 2011, quando chegou ao fim o programa de ônibus espaciais americanos.

Isso porque, desde maio de 2020, foguetes e cápsulas da SpaceX estão em condições de enviar astronautas à Estação Espacial Internacional. Uma parceria da empresa com a Nasa permitiu, assim, que os EUA voltassem a levar astronautas por conta própria, sem mais depender da Rússia, que por sua vez deixou de receber dezenas de milhões de dólares por cada lugar numa viagem espacial. 

Os antigos foguetes Soyuz da Rússia são confiáveis ​​e permitem que Moscou permaneça relevante na indústria espacial moderna, mas o país está lutando para inovar e acompanhar outras empresas importantes.

A Rússia lançou o primeiro satélite artificial em 4 de outubro de 1957. Os soviéticos mantiveram a liderança nos primeiros anos da corrida espacial. Eles ostentam o primeiro voo tripulado ao espaço por Iuri Gagarin em 12 de abril de 1961, a primeira caminhada espacial quatro anos depois por Alexei Leonov, e a primeira sonda lunar em 1966. Mas os Estados Unidos venceram a Rússia com o primeiro pouso tripulado à Lua em 1969.

ek (AFP, Efe, Lusa)