1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Placa luminosa com a logomarca da Gazprom
Em abril, a Gazprom Export exigiu que os pagamentos do contrato fossem feitos em rublosFoto: Stringer/dpa/picture alliance
EconomiaFinlândia

Rússia deixará de fornecer gás natural para a Finlândia

20 de maio de 2022

Interrupção ocorre após o governo de Helsinque se negar a pagar a fornecedora russa Gazprom em rublos. Segundo a estatal finlandesa de energia Gazum, consumidores não serão afetados.

https://www.dw.com/pt-br/r%C3%BAssia-deixar%C3%A1-de-fornecer-g%C3%A1s-natural-para-a-finl%C3%A2ndia/a-61883923

O fornecimento de gás natural da Rússia para a Finlândia será cortado na manhã deste sábado (21/05), informaram empresas de energia finlandesas e russas nesta sexta-feira. O motivo é que Helsinque se negou a pagar a fornecedora russa Gazprom em rublos.

"É extremamente lamentável que o fornecimento de gás natural sob nosso contrato seja interrompido", disse em comunicado Mika Wiljanen, CEO da empresa de energia estatal finlandesa Gasum.

Ele informou, porém, que a empresa estava preparada para a situação e que os consumidores não devem ser afetados. O abastecimento será suprido por outras fontes, como por meio do gasoduto Balticconnector, que liga a Finlândia à Estônia.

A Gazprom Export, braço exportador da gigante russa de gás Gazprom, disse que não recebeu o pagamento pelo gás fornecido em abril e, portanto, interromperia as entregas a partir das 7h deste sábado (horário local).

Em abril, a Gazprom Export exigiu que os pagamentos do contrato fossem feitos em rublos, a moeda russa, em vez de euros, como costumava ser feito. A Gasum, porém, rejeitou a exigência e anunciou na terça-feira que levaria o caso à Justiça.

A Gazprom Export informou que defenderia seus interesses no tribunal por qualquer "meio disponível".

Questionado sobre o assunto, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que "é óbvio que ninguém vai entregar nada de graça". No entanto, pediu que os repórteres buscassem a Gazprom para obter mais detalhes sobre o tema.

O gás natural é responsável por cerca de 8% do consumo de energia da Finlândia, a maior parte dele vindo da Rússia.

Esforços para diminuir dependência russa

Em esforços para mitigar os riscos de depender das exportações de energia da Rússia, o governo finlandês anunciou nesta sexta-feira que o país assinou um contrato com a Excelerate Energy, com sede nos EUA, para o arrendamento por dez anos de um navio terminal de gás natural liquefeito (GNL).

"O terminal de GNL permitirá que nos libertemos do gás russo", disse a ministra das Finanças finlandesa, Annika Saarikko.

Interrupção do fornecimento de energia

No fim de semana passado, a Rússia suspendeu o fornecimento de eletricidade para a Finlândia, depois que a subsidiária russa RAO Nordic alegou atrasos nos pagamentos. O déficit foi rapidamente substituído por outras fontes e os consumidores não foram prejudicados, afirmou o governo finlandês.

A Finlândia, juntamente com a vizinha Suécia, abandonou esta semana seu histórico de não-alinhamento militar e solicitou adesão à Otan, depois que o apoio público e político à aliança militar disparou com a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Moscou alertou a Finlândia que qualquer pedido de adesão à Otan seria "um grave erro com consequências de longo alcance".

le (Reuters, AFP)