1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Meteoriten-Einschlag in Chelyabinsk RusslandFoto: REUTERS/OOO Spetszakaz

Queda de meteorito na Rússia causa prejuízo e deixa mais de 400 feridos

15 de fevereiro de 2013

Impacto danificou telhados e janelas em pelo menos seis cidades dos Montes Urais, 1.500 de quilômetros a leste de Moscou. Cientistas russos descartaram relação com asteroide esperado para passar próximo à Terra.

https://p.dw.com/p/17ei5

Cerca de 400 pessoas, incluindo 10 crianças, ficaram feridas devido à queda de um meteorito nos Montes Urais, afirmaram autoridades russas nesta sexta-feira (15/02), conforme a agência de notícias Interfax. Cinco, em estado grave.

A maioria se machucou com estilhaços dos vidros das janelas, que explodiram com o impacto, de acordo com o Ministério do Interior russo. No total, foram registrados danos em pelo menos seis cidades da região, localizada cerca de 1.500 quilômetros a leste de Moscou.

Usina nuclear

Fragmentos de um meteorito caíram em diversas casas e destruíram telhados e janelas. A usina nuclear situada na área não teria sido afetada.

Todas as escolas da região permaneceram fechadas nesta sexta-feira, segundo informou em Moscou o chefe do Serviço de Controle da Saúde Pública, Genadi Onishchenko.

Meteoriten-Einschlag in Chelyabinsk Russland
Muitos se feriram com estilhaços das janelas, quebradas pelo impactoFoto: REUTERS/OOO Spetszakaz

Serguei Smirnov, cientista do Observatório de Pulkovski, em São Petersburgo, afirmou que o peso do meteorito devia ser de várias toneladas.  "Era uma bola muito brilhante, muito visível no céu da manhã, um objeto com uma massa bastante grande, de muitas dezenas de toneladas", precisou o especialista, numa entrevista à televisão russa.

Cientistas russos citados pela rádio Komkersant FM consideraram que a queda do meteorito nos Urais não está ligada ao asteroide que passa nesta sexta-feira muito próximo à Terra, mas não excluem a ocorrência de chuvas de meteoritos em outras regiões da Rússia. 

MD/lusa/dpa
Revisão: Francis França

Pular a seção Mais sobre este assunto