Prefeitura do Rio mandou interditar CT do Flamengo em 2017 | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 09.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Prefeitura do Rio mandou interditar CT do Flamengo em 2017

Ninho do Urubu foi multado quase 30 vezes por falta de alvará, e área do alojamento atingido por incêndio só tinha permissão para funcionar como estacionamento. Todos os dez mortos eram atletas, entre 14 e 16 anos.

Ninho do Urubu após incêndio

Incêndio atingiu dormitório por volta das 5h da manhã desta sexta-feira

Após um incêndio atingir o centro de treinamento (CT) do Flamengo e deixar dez mortos na madrugada desta sexta-feira (08/02), a prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que, por o local não possuir alvará de funcionamento, o clube foi multado quase 30 vezes e chegou a ser interditado em outubro de 2017.

Segundo nota divulgada pela prefeitura, a atual licença do centro de treinamento George Helal, conhecido como Ninho do Urubu, vale até 30 de março deste ano. No entanto, o alojamento dos atletas das categorias de base "não consta do último projeto aprovado pela área de licenciamento, em 5 de abril de 2018, como edificada".

As autoridades afirmam que no projeto protocolado pelo clube, a área do alojamento – distribuída em seis contêineres, que foram totalmente destruídos pelo incêndio – está descrita como um estacionamento.

De acordo com a prefeitura, há registro de um pedido de funcionamento da área como dormitórios de setembro de 2017, para o qual, após uma consulta prévia ser deferida, foram solicitados documentos necessários para o alvará.

"O certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros não foi apresentado, portanto, o alvará não foi concedido. Por estar em funcionamento sem o devido alvará foram lavrados quase 30 autos de infração", diz a nota.

O texto afirma ainda que a prefeitura vai determinar a abertura de um processo de investigação para apurar as responsabilidades no incêndio ocorrido no Ninho do Urubu.

Segundo lista divulgada pelo Flamengo, todos os dez mortos e os três feridos eram atletas da base do clube, com idades entre 14 e 17 anos. No total, 26 atletas dormiam no alojamento atingido pelo incêndio, e 13 conseguiram escapar.

O clube informou no fim da tarde desta sexta-feira que dois dos três feridos – os atletas Cauan Emanuel e Francisco Dyogo – estavam em situação estável, acordados e conscientes.

O terceiro ferido, Jhonata Ventura, estava em estado grave. "Ele foi atingido na face, membros superiores e mãos e tem queimaduras em 30% do corpo", informou o clube.

A causa do incêndio ainda é desconhecida. A perícia, no entanto, trabalha com a hipótese de um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado. Testemunhas disseram que as chamas se alastraram com rapidez.

O Ninho do Urubu é considerado um dos mais modernos centros de treinamento da América Latina e possui um módulo para a equipe profissional do Flamengo, dois campos de treino e um espaço específico para a preparação de goleiros, além da área de alojamento para atletas das camadas jovens, que foi atingida no incêndio.

Após a tragédia no centro de treinamento do Flamengo, a prefeitura do Rio afirmou que os centros de treinamento do Vasco da Gama e do Fluminense Futebol Clube também funcionam sem alvará de licenciamento para edificações. Autoridades vão fiscalizar os locais e tomar as devidas providências legais, segundo a nota.

LPF/abr/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais