Oskar Lafontaine anuncia que deixará liderança do partido A Esquerda | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 23.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Oskar Lafontaine anuncia que deixará liderança do partido A Esquerda

Político anuncia que não vai mais concorrer ao cargo de presidente de A Esquerda, abrindo espaço para a sucessão no partido alemão. Congresso será em maio.

default

Lafontaine: luta contra o câncer

Oskar Lafontaine, presidente do partido alemão A Esquerda, anunciou neste sábado (23/01) que deixará a liderança do partido e renunciará ao cargo de deputado federal.

O político luta contra um câncer na próstata e foi operado em novembro do ano passado. "Por razões de saúde, não serei candidato ao cargo de presidente do partido", declarou.

"Claro que vou terminar a minha missão até o congresso do partido, em maio. Participarei da campanha eleitoral para as eleições na Renânia do Norte-Vestfália na medida em que minha saúde o permitir", anunciou Lafontaine.

O político de 66 anos é tido como uma das figuras mais conhecidas da esquerda na Alemanha. Ele já liderou o SPD (Partido Social-Democrata) e ajudou a fundar A Esquerda em 2007, partido criado por socialistas dissidentes do SPD e por comunistas da antiga Alemanha Oriental.

Em 1990, o político perdeu as eleições para chanceler para Helmut Kohl. Foi ministro das Finanças no primeiro governo de Gerhard Schroeder. Lafontaine deixa o cargo federal, mas a expectativa é que concentre sua influência no Sarre, estado onde dirige o grupo parlamentar desde 2009.

O partido A Esquerda agora está envolto numa disputa de poder para definir quem vai ocupar o espaço deixado por Lafontaine. O outro presidente do partido, Lothar Bisky, anunciou em 15 de janeiro que também não vai mais concorrer ao cargo.

NP/dpa/lusa

Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados