Oposicionistas tomam posse no Parlamento de Mianmar | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 02.05.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oposicionistas tomam posse no Parlamento de Mianmar

Líder oposicionista Auung San Suu Kyi e 33 colegas de partido tomam posse de seus mandatos no Parlamento de Mianmar, depois de abandonar a disputa pela alteração do juramento constitucional.

Myanmar pro-democracy icon Aung San Suu Kyi, center, and elected lawmakers of her National League for Democracy party swear during a regular session of Myanmar Lower House at parliament in Naypyitaw, Myanmar, Wednesday, May 2, 2012. Suu Kyi was sworn in to Myanmar's military-backed parliament Wednesday, taking public office for the first time since launching her struggle against authoritarian rule nearly a quarter century ago. (Foto:Khin Maung Win/AP/dapd).

Amtseid Suu Kyi Birma

A líder da oposição de Mianmar, Auung San Suu Kyi, assumiu seu mandato no Parlamento do país nesta quarta-feira (02/05), ao lado de outros 33 membros de seu partido, após cederem no seu pedido de mudança do juramento à Constituição.

O partido Suu Kyi, a Liga Nacional Democrática (NLD) havia questionado o juramento que os obriga a "salvaguardar" a Constituição redigida pela junta militar. Eles queriam substituir a palavra por "respeitar". O partido desistiu do argumento na segunda-feira, após o presidente Thein Sein deixar claro que não iria ceder ao pedido.

"A razão para aceitarmos o juramento é primeiramente o desejo do povo. Nossos eleitores votaram em nós porque querem nos ver no Parlamento", disse Suu Kyi. "Nós sempre acreditamos em flexibilidade durantes os anos de nossas lutas."

A laureada com o Prêmio Nobel da Paz se comprometeu a buscar uma alteração à Constituição de 2008, que reserva um quarto dos assentos do Parlamento para oficiais militares não eleitos. Tal mudança exigiria três quartos dos votos legislativos, o que significa que os militares precisariam concordar com o plano.

O juramento dos 37 membros da NLD aconteceu um dia após o encontro do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, com a líder da oposição. Ban Ki-moon elogiou Suu Kyi pela flexibilidade em prol do país. Um total de 43 membros do NLD foram eleitos em 1º de abril.

AKS/ap/afp/rtr
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais