ONU prevê que a população alemã diminuirá 8 milhões até 2050 | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 12.11.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU prevê que a população alemã diminuirá 8 milhões até 2050

Relatório de 2008 do UNFPA aponta que população alemã diminuirá para 74,1 milhões em 42 anos. Estudo evidencia desigualdade de condições entre homens e mulheres.

default

População mundial aumenta enquanto a alemã diminui

O Relatório sobre a Situação da População Mundial 2008, divulgado nesta quarta-feira (12/11) pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), estima em 6,75 bilhões de pessoas a população do planeta em 2008. Destes, 4 bilhões concentram-se na Ásia.

Até 2050, a população mundial deverá crescer para 9,2 bilhões de habitantes. Na África, a população deverá duplicar, dos atuais 1 bilhão para 2 bilhões de pessoas. A taxa de fertilidade no continente africano é de 4,6 filhos por mulher, enquanto na Europa esta taxa é de 1,45 filho por mulher.

Oito milhões a menos na Alemanha

Frauen in Abuja Nigeria

População africana deverá dobrar em 42 anos

Para a Alemanha, o estudo projeta uma diminuição da população em 8,4 milhões de pessoas até 2050. Dos atuais 82,5 milhões de habitantes, o país passaria a ter então 74,1 milhões. O estudo salienta que a taxa alemã de fertilidade, de 1,36 filho por mulher, é extraordinariamente baixa em relação à média européia.

O estudo evidencia disparidades entre a Alemanha e os países africanos. A taxa de mortalidade entre crianças menores de 5 anos é de 140 por mil nascimentos. Na Alemanha, é de 5 mortes em mil nascimentos. Outra clara diferença entre a Alemanha e o continente africano refere-se ao percentual de partos de mulheres entre 15 e 19 anos de idade. Enquanto no país europeu o percentual de partos nessa faixa etária é de 0,9%, na África ele ultrapassa 10%.

Discriminação feminina

O estudo das Nações Unidas dedicou atenção especial à situação da igualdade de direitos. Na maioria dos países do mundo, as mulheres continuam sofrendo discriminações, alerta o relatório, que foi apresentado em Berlim pelo UNFPA, pela Fundação Alemã para a População Mundial e pela ministra alemã de Cooperação Econômica, Heidemarie Wieczorek-Zeul.

Frauen in Handwerksberufen - Kfz-Mechanikerin

Mulheres ganham menos que colegas homens

Entre o bilhão de pessoas mais pobres do planeta, 60% são do sexo feminino, alerta o documento. Além disso, dois terços das 960 milhões de pessoas do mundo que não sabem ler nem escrever são mulheres. Dos 130 milhões de crianças que não freqüentam escolas, 70% são meninas.

Neste sentido, o relatório conclui que "em muitas culturas a discriminação de mulheres é largamente difundida e tem raízes profundas". Aí se inclui também o fato de que mesmo em países altamente industrializados normalmente as mulheres são mais mal remuneradas do que os homens.

Países de língua portuguesa

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deverá ter mais 110 milhões de habitantes em 2050, passando para cerca de 357 milhões de pessoas, estima o relatório.

O Fundo de População das Nações Unidas prevê um crescimento populacional de 44% nos países da CPLP, que em 2050 deverá concentrar quase 4% do total da população mundial (estimada em 9 bilhões de pessoas).

O Brasil, que é o país mais populoso da comunidade, passará dos atuais 194,2 milhões de habitantes para 254,1 milhões.

Leia mais