OMS recomenda que turistas se vacinem contra febre amarela | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 15.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

OMS recomenda que turistas se vacinem contra febre amarela

Estrangeiros que viajarem ao Brasil para o Carnaval em áreas com surto da doença devem ser imunizados com antecedência, alerta organização. Ministério da Saúde registra 82 mortes e 243 casos confirmados.

default

Surto de febre amarela no Brasil já causou 82 mortes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou nesta quarta-feira (15/02) que turistas que pretendam viajar para áreas afetadas pelo surto de febre amarela no Brasil se vacinem contra a doença.

Em comunicado, o órgão diz que, com a chegada do Carnaval, é preciso que os visitantes sejam imunizados com ao menos dez dias de antecedência.

Segundo a OMS, novas áreas foram afetadas pela surto da doença, que começou em Minas Gerais. A nova lista inclui Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Tocantins.

Em comunicado, a organização esclarece que não é necessário se vacinar caso o visitante não esteja numa área considerada de risco, mas se as pessoas que viajaram para cidades grandes pretenderem se afastar em direção ao interior é preciso se prevenir contra a febre a amarela.

Além da vacinação, a OMS recomenda que os estrangeiros tomem cuidados adicionais para evitar serem picados por mosquitos e procurar atendimento médico rapidamente caso os sintomas apareçam.

"Em vista de uma situação de transformação e levando em consideração a chegada de visitantes pelo Carnaval nas próximas semanas, e que eles podem sair das principais cidades, a recomendação da OMS é a vacinação pelo menos dez dias antes da viagem", diz o comunicado.

Novos casos

Em apenas uma semana, o Ministério da Saúde registrou 176 novos casos suspeitos de febre amarela em Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Tocantins e Rio Grande do Norte. Ao todo, a pasta investiga 1.236 casos de pacientes que podem ter contraído a doença. Até o momento,  243 suspeitas foram confirmadas.

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta que 82 pessoas morreram por febre amarela em Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo desde o início do surto. Outras 112 mortes suspeitas podem ter sido causadas pela doença.

O Brasil está em alerta desde o início do ano por causa do surto de febre amarela, que tem se manifestado em dois tipos: a silvestre, transmitida pelo Haemagogus e Sabethes, e a urbana, que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, do zika vírus e da febre chicungunha.

KG/ABr/efe

Leia mais