Oito fatos sobre o eclipse solar de Mercúrio | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oito fatos sobre o eclipse solar de Mercúrio

O menor planeta do sistema solar transita em frente ao Sol, podendo ser visto apenas como um pequeno ponto escuro. Para vê-lo, porém, serão necessários equipamentos especiais.

Planet Merkur Passage vor Sonne

O planeta Mecúrio transita em frente ao Sol

Nesta segunda-feira (09/05), Mercúrio passa em frente ao Sol, provocando um pequeno eclipse. Entre aproximadamente 08h12 e 15h24 (horário de Brasília) o planeta poderá ser visto como um pequeno ponto escuro sobre a superfície solar.

A última vez em que o chamado "trânsito de maio" ocorreu foi há treze anos. Outros trânsitos desse tipo costumam ocorrer no mês de novembro. Selecionamos aqui alguns fatos sobre Mercúrio, o menor planeta de nosso sistema solar.

1) Use proteção adequada

Vale avisar que durante os eclipses solares, jamais se deve olhar diretamente para o Sol sem proteção, pois há sérios riscos de danificar a visão.

Messenger am Merkur

As duas faces de Mercúrio

No caso do trânsito de Mercúrio em frente ao Sol, óculos especiais para a observação de eclipses não bastam. Ao contrário do eclipse solar realizado pela órbita da Lua, o trânsito de Mercúrio permite que o Sol continue a brilhar em toda a sua intensidade. Isso significa que, para enxergar o pequeno planeta, é necessário também uma ajuda adicional.

2) Telescópio especial

Mercúrio é visivel em trânsito apenas com a utilização de um telescópio especial – o telescópio comum não é seguro: observar o sol através de um é ainda mais perigoso para a retina do que a olho nu. Por isso, é necessário conhecimento e equipamentos especiais.

Para quem quiser observar o fenônemo, sugerimos entrar em contato com a associação de astrônomos amadores mais próxima para obter orientação e ajuda. Essas organizações existem em todo o mundo.

Como alternativa, pode-se observar o eclipse através da internet, nos portais das agências espaciais ou de observatórios astronômicos.

Weltraum Planeten (Bildergalerie) Merkur 1974

Mercúrio, fotografado em 1975 pela nave Mariner da nasa

3) Pequeno planeta

Com apenas 4.880 quilômetros de diâmetro, Mercúrio é o menor dos planetas em nosso sistema solar. O diâmetro da Terra – 12,7 mil quilômetros – é quase três vezes maior. Júpiter, o maior planeta do nosso sistema, é quase trinta vezes maior do que Mercúrio, com 143 mil quilômetros de diâmetro.

4) Mais próximo do Sol

Mercúrio é o planeta posicionado mais próximo ao Sol, a uma distância de 60 milhões de quilômetros. A distância entre o globo solar e a Terra é de 149 milhões de quilômetros. No caso de Netuno, localizado na posição mais longínqua do nosso sistema, a distância para o Sol é de 4,48 bilhões de quilômetros.

Em razão de sua próximidade do Sol, as órbitas de Mercúrio são relativamente rápidas, sendo necessários apenas 88 dias para completar a volta em torno do astro rei. Um ano na Terra equivale a 4 anos em Mercúrio. Mas sua órbita não ocorre em alta velocidade. O pequeno planeta se move a 4,3 quilômetros por segundo, enquanto a Terra se move a 11 quilômetros por segundo.

5) Quente e frio

As temperaturas em Mercúrio podem chegar a 427ºC devido à sua proximidade com a superfície solar. Entretanto, na face que não é iluminada pelo sol, o frio pode chegar a -173ºC.

Messenger am Merkur

A nave Messenger esteve na órbita de Mercúrio entre 2011 e 2015

O motivo para a enorme diferença de temperatura é sua atmosfera extremamente fina, menor que um vácuo reproduzido em laboratório sob condições perfeitas. Se não há atmosfera, não há proteção da superfície dos raios solares e não há nenhuma camada que possa aprisionar o calor, transportando-o para o lado escuro do planeta.

6) Vulcões e rochas

A superfície de Mercúrio é formada por rochas porosas. Ela é coberta por crateras e foi modificada durante milhões de anos – formatada pelo impacto de meteoritos. Não há sinal de atividades tectônicas, apesar de haver indícios de erupções vulcânicas.

Assistir ao vídeo 01:46
Ao vivo agora
01:46 min

Missão da sonda Messenger chega ao fim

7) Uma vida nas sombras

É justamente a proximidade com o Sol que dificultou a observação do planeta durante toda a história da astronomia. O brilho solar simplesmente ofusca a visão. Um voo em frente ao sol é um evento raro, ocorre, em média, a cada 13 ou 14 anos. Diz a lenda que o astrônomo Nicolaus Copérnico lamentou em seu leito de morte, em 1543, o fato de nunca poder ter visto Mercúrio. Para os astrônomos, a próxima oportunidade deverá ocorrer apenas em 2019.

8) Apenas duas visitas

Em razão de o planeta estar tão próximo do Sol, as agências espaciais hesitam em enviar naves não tripuladas a Mercúrio. O risco de que tempestades solares danifiquem as sensíveis tecnologias é grande demais.

Até hoje, apenas duas naves conseguiram chegar até lá. A última das dez sondas da NASA do programa Mariner se aproximou de Mercúrio em 1975. Em 2011, a sonda Messenger chegou ao pequeno planeta e o orbitou até 2015.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados