O protesto de ginastas alemãs contra a sexualização no esporte | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 26.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Tóquio 2020

O protesto de ginastas alemãs contra a sexualização no esporte

Com gesto inédito, atletas alemãs se posicionam contra sexualização das mulheres no esporte e promovem a liberdade de escolha. Até então, vestimentas longas eram usadas nos Jogos somente por motivos religiosos.

Ginastas alemãs usaram traje longo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Ginastas alemãs usaram traje longo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

A equipe alemã de ginástica feminina optou neste domingo (25/07) por usar trajes de corpo inteiro nas sessões classificatórias dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Com o gesto, as ginastas se posicionam contra a sexualização das mulheres no esporte, promovem a liberdade de escolha e encorajam as mulheres a usar roupas que as deixem confortáveis.

A equipe, formada por Sarah Voss, Pauline Schaefer-Betz, Elisabeth Seitz e Kim Bui, competiu usando macacões vermelhos e brancos que combinam collant e leggings que se estendem até os tornozelos.

Elas haviam usado roupas semelhantes durante o treino da última quinta-feira e afirmaram que poderiam usar novamente o traje no evento esportivo. A ginasta Sarah Voss afirmou que a equipe discutiu a escolha da vestimenta antes de competir no domingo e decidiu pelo macacão.

"Nós nos reunimos hoje [domingo] e dissemos: ok, queremos fazer uma grande competição. É muito difícil se acostumar com o nosso novo corpo quando estamos crescendo como mulheres", afirmou a jovem de 21 anos.

"Queremos ter a certeza de que todas se sintam confortáveis e mostramos a todas que elas podem usar o que quiserem e ter uma aparência incrível, uma sensação incrível, seja com um traje longo ou curto", acrescentou. 

Voss afirmou que a equipe alemã – que usou macacões de corpo inteiro no campeonato europeu, em abril, em um gesto que visa conter a sexualização do esporte – está ansiosa para que a tendência emplaque no futuro.

"Queremos ser um exemplo para que todos tenham a coragem de nos seguir", disse Voss.

A decisão das alemãs de usar macacões lhes rendeu elogios de outros competidores em Tóquio.

"Acho muito legal que elas tenham a coragem de estar numa arena tão grande e mostrar às meninas de todo o mundo que você pode usar o que quiser", disse a ginasta norueguesa Julie Erichsen. "Eu as aplaudo por isso."

Nos últimos anos, o esporte tem sido abalado por casos generalizados de abuso sexual e físico, o que levou à introdução de novos protocolos de segurança destinados a proteger os atletas.

Para as mulheres, o traje de competição padrão é um collant, sendo que ele pode ser de mangas compridas ou sem mangas. Os trajes que cobrem as pernas são autorizados em competições internacionais, mas até o momento têm sido usados quase exclusivamente por motivos religiosos.

fc (rtr, afp, ap)

Leia mais