O Brasil na imprensa alemã (19/12) | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 19.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

O Brasil na imprensa alemã (19/12)

Acusações de abuso sexual cometido pelo médium João de Deus são destaques da semana que passou. Continuidade de acordo nuclear entre Alemanha e Brasil, Escola Sem Partido e relatório do Coaf também são tema.

João de Deus gesticula ao chegar ao seu centro de cura, a Casa de Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia

O líder espiritual João Teixeira de Faria (c.), conhecido como João de Deus

Frankfurter Allgemeine Zeitung – O curandeiro do Brasil é um estuprador?, 13/12/2018

Para muita gente sofrendo, ele é a última esperança: João Teixeira de Faria, conhecido no Brasil como "João de Deus". O médium teria livrado inúmeras pessoas de suas doenças e penúrias, incluindo celebridades de Hollywood e vários políticos conhecidos. Mas desta vez Faria não é notícia por causa de suas curas milagrosas, mas por outras atitudes. Nos últimos dias, várias mulheres que acusam Faria de abuso sexual foram a público. Desde a divulgação das acusações, centenas de mulheres relataram ao Ministério Público que o mesmo teria acontecido com elas.

Os métodos de Faria são tão inexplicáveis quanto controversos. Além da cura espiritual por meditação e cultos, seu centro na cidade goiana de Abadiânia também é palco, às vezes, de intervenções físicas – o que é duramente criticado por profissionais da área da saúde.

Não é a primeira vez que Faria precisa se defender de denúncias de abuso sexual. Ele já foi acusado por isso há alguns anos, mas o processo foi arquivado por falta de provas. Agora, porém, as alegações são inúmeras. Elas foram desencadeadas por uma matéria publicada no jornal O Globo, na qual várias vítimas relataram maus tratos cometidos por Faria. Pouco depois, num programa veiculado na maior rede de TV do Brasil, a Globo, a holandesa Zahira Lieneke Mous contou que foi abusada pelo curandeiro. Outras vítimas também falaram, mas sua identidade não foi revelada.

Desde então, centenas de acusações contra Faria foram levadas ao MP. Se fosse condenado apenas em dez casos de abuso sexual, ele precisaria contar com uma pena de até 150 anos de prisão, e o centro do médium seria fechado.

Uma editora já reagiu e retirou a biografia de João de Deus de circulação. Em Abadiânia, teme-se o pior. A cidadezinha de 15 mil habitantes depende totalmente do turismo gerado pelo centro de cura. Agências de turismo estão tão inseguras quanto os visitantes vindos do mundo inteiro.

Sueddeutsche.de – Programa nuclear alemão funciona no Brasil apesar de Bolsonaro, 16/12/2018

O governo federal alemão quer dar continuidade ao programa nuclear com o Brasil e ao fornecimento de barras de combustível também sob o presidente direitista Jair Bolsonaro. Não existe necessidade de anular ou de modificar o acordo – nem da perspectiva da política externa, nem da política energética, diz uma resposta do Secretário de Estado para a Economia da Alemanha, Ulrich Nussbaum, à bancada do Partido Verde. Segundo o comunicado ao qual a agência DPA teve acesso, apesar da retirada da Alemanha da produção de energia nuclear até 2022, desde 2011 o país europeu forneceu, entre outros, barras de combustível com um total de dez toneladas de urânio para o Brasil.

Der Spiegel – Um presidente permite a caça a professores, 15/12/2018

"Escola sem Partido" é o nome do conceito de uma aparente "educação livre de ideologia" propagada por [Ana Caroline] Campagnolo [eleita deputada estadual do PSL pelo estado de Santa Catarina] e seus apoiadores. Sob Bolsonaro, a caça às bruxas contra tudo o que é supostamente de esquerda deverá se tornar política do governo. O ex-militar quer nomear o professor de filosofia Ricardo Vélez Rodríguez a ministro da Educação – um colombiano que ajudou a desenvolver o projeto da Escola Sem Partido.

A convocação pública ao denuncismo é parte de uma insurreição de direita com que o presidente eleito do Brasil quer revolucionar ideologicamente escolas e universidades públicas. É que as instituições de ensino valem como bastiões da resistência contra Bolsonaro.

Para os fundamentalistas, não se trata apenas de combater ideais supostamente da esquerda. Eles querem banir principalmente a educação sexual e temas relacionados a gênero das aulas. "Eles acreditam que a discussão sobre gênero é obra do diabo", diz a historiadora Marlene de Fáveri, que teme que a próxima medida seja o banimento da Teoria da Evolução do currículo escolar.

Há 28 anos, ela leciona na Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis. É autora de uma obra de referência premiada várias vezes sobre o passado nazista do estado. Ideais fascistas eram amplamente difundidos entre os diversos descendentes de alemães em Santa Catarina. O partido nazista NSDAP até abriu seu próprio escritório internacional na cidade de Blumenau.  

Tagesspiegel – Incêndio em favela brasileira destrói 600 casas, 16/12/2018

Um incêndio de amplas dimensões numa favela na cidade de Manaus, no norte do Brasil, queimou cerca de 600 casas. Segundo dados das autoridades, 17 pessoas ficaram feridas no fogo na madrugada de segunda para terça-feira (18/12). Um representante do governo do Amazonas disse que talvez tenha sido o maior incêndio municipal "da história de Manaus". Cerca de cem bombeiros atuaram para apagar o fogo na favela de Educandos. As autoridades suspeitam que o fogo começou quando um dos moradores cozinhava.

Frankfurter Allgemeine Zeitung – Mancha no colete branco, 15/12/2018

As transações financeiras de Fabrício de Queiroz [ex-assessor de Flávio Bolsonaro] em 2016 foram tão estranhas que chamaram a atenção do Coaf, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

Ele sempre confiou em seu funcionário e está convencido de que Queiroz pode explicar tudo, disse Flávio Bolsonaro. Porém, quem também precisa se explicar é seu pai, Jair Bolsonaro, que, entre outros, foi eleito presidente por causa de sua imagem de guardião da moral e das afiadas críticas que teceu condenando a corrupção e o nepotismo. O colete supostamente branco de Bolsonaro corre o risco de ficar manchado. Por isso, ele aumentou os esforços durante a semana: "Se tiver algo errado, que paguemos". Isso pode sair caro para ele.

RK/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais