Nobel de Química vai para ″menores máquinas do mundo″ | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 05.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Nobel de Química vai para "menores máquinas do mundo"

Pesquisadores francês, escocês e holandês recebem prêmio por estudos sobre o projeto e síntese de máquinas moleculares, que no futuro poderão ser usadas na medicina.

Os vencedores do pêmio Nobel de Química 2016, que desenvolveram, estudos sobre as máquinas moleculares

Os vencedores do pêmio Nobel de Química 2016, que desenvolveram, estudos sobre as máquinas moleculares

A Academia Real de Ciências da Suécia anunciou nesta quarta-feira (05/10) que o prêmio Nobel de Química deste ano vai para um trio de cientistas que desenvolveu estudos sobre o projeto e síntese de máquinas moleculares – chamadas de "as menores máquinas do mundo".

Os agraciados são o francês Jean-Pierre Sauvage, o escocês Sir J Fraser Stoddart e o holandês Bernard L Feringa, que "desenvolveram moléculas com movimentos controláveis capazes de realizar tarefas quando recebem energia", informou o comitê da premiação.

"As máquinas moleculares deverão ser empregadas no desenvolvimento de novos materiais, sensores e sistemas de armazenamento de energia", afirmou a Academia, acrescentando que esses mecanismos, são "mil vezes mais finos do que um fio de cabelo".

As descobertas ainda estão em período inicial de pesquisa e poderão, por exemplo, ser úteis na medicina. Uma das aplicações seria eventualmente o transporte de medicamento por nanorobôs. Os vencedores do prêmio recebem 8 milhões de coroas suecas (931 mil dólares).

O anúncio do prêmio de Química foi o último deste ano na área das ciências. Nesta semana, o Nobel de Fisiologia ou Medicina foi agraciado ao biólogo japonês Yoshinori Ohsumi por suas descobertas sobre como as células reciclam seu conteúdo, num processo conhecido como autofagia – palavra de origem grega que significa "comer a si próprio".

O Nobel de Física foi atribuído aos cientistas britânicos David Thouless, F. Duncan Haldane e J. Michael Kosterlitz, pelas "descobertas teóricas das transições da fase topológica e às fases topológicas da matéria". Segundo o comitê, o trabalho dos três pesquisadores "revelou o segredo da matéria exótica" – termo que se refere à matéria que se desvia das propriedades normais.

O prêmio Nobel da Paz será anunciado nesta sexta-feira, enquanto as premiações de Economia e Literatura serão divulgadas na próxima semana.

RC/dpa/ap/afp/rtr

 

Leia mais