Naufrágio pode ter matado 90 migrantes na costa da Líbia | Notícias internacionais e análises | DW | 02.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Naufrágio pode ter matado 90 migrantes na costa da Líbia

Barco levava quase uma centena de pessoas para a Europa, sendo a maioria paquistaneses. Três sobreviveram. Dez corpos foram encontrados, e o restante segue desaparecido.

Migrantes em barco que deixou a costa da Líbia rumo à Europa, em fevereiro de 2017

Migrantes em barco que deixou a costa da Líbia rumo à Europa, em fevereiro de 2017

O naufrágio de um barco que levava migrantes da Líbia para a Europa pode ter deixado ao menos 90 mortos nesta sexta-feira (02/02), afirmou a Organização Internacional para Migrações (OIM).

O órgão das Nações Unidas confirmou que dez corpos foram encontrados, sendo oito cidadãos do Paquistão e dois da Líbia. Outras três pessoas sobreviveram – duas nadaram até a costa e outra foi resgatada por um pescador. O restante segue desaparecido. Segundo os sobreviventes, a maioria são paquistaneses.

"Foi nos dada uma estimativa de 90 pessoas que se afogaram quando o barco virou, mas ainda precisamos verificar o número exato de pessoas que perderam a vida na tragédia", disse a porta-voz da OIM, Olivia Headon.

A embarcação, possivelmente de contrabandistas, naufragou próximo à cidade de Zuwara, a cerca de 100 quilômetros da capital líbia, Trípoli. As causas do naufrágio ainda não foram confirmadas.

Outro porta-voz da OIM, Leonard Doyle, declarou à agência de notícias Reuters que se acredita que o barco tenha partido da costa líbia nesta quinta-feira, antes de naufragar na manhã de sexta.

Segundo Headon, o número de paquistaneses que tentam cruzar o Mediterrâneo em direção ao litoral europeu aumentou consideravelmente nos últimos meses.

Somente em janeiro deste ano, estima-se que 240 cidadãos do Paquistão tenham feito a travessia, enquanto em janeiro de 2017 foram registrados apenas nove.

A organização das Nações Unidas tem alertado repetidamente sobre os perigos extremos que enfrentam os migrantes que tentam chegar à Europa através da chamada rota central do Mediterrâneo, que conecta a Líbia à Itália.

Segundo a OIM, mais de 6.600 migrantes e refugiados chegaram pelo mar ao território europeu neste ano – 65% deles usaram tal rota do Mediterrâneo até a Itália.

EK/afp/efe/lusa/rtr

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais