Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA | Notícias internacionais e análises | DW | 26.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Pandemia

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação da variante delta e de fake news, especialista da Casa Branca alerta para "pandemia entre os não vacinados". Maioria dos que ainda não foram imunizados não pretende fazê-lo, indica pesquisa.

Fila para vacinação em Nova York

Em 30 estados americanos, menos da metade de população foi vacinada

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19.

Em entrevista à CNN neste domingo (25/07), Anthony Fauci, principal assessor médico do presidente Joe Biden, afirmou que o país "caminha na direção errada" enquanto o número de casos da doença continua a aumentar, sobretudo entre aqueles que não se vacinaram.

"É realmente uma pandemia entre os não vacinados", disse Fauci. "É por isso que estamos praticamente implorando às pessoas não vacinadas que se vacinem."

Fauci se disse frustrado e afirmou que os Estados Unidos estão passando por uma "situação difícil desnecessária".

Maioria dos não imunizados indica que não vai se vacinar

Mais de 163 milhões de pessoas, ou 49% do total da população americana, estão completamente vacinadas contra a covid-19. Se considerados apenas os que podem receber a vacina, acima dos 12 anos de idade, o número chega a 57%.

Entre os adultos que ainda não foram imunizados, 35% disseram que provavelmente não tomarão a vacina, e 45% afirmaram categoricamente que não o farão, segundo levantamento da agência de notícias Associated Press em parceria com o centro de pesquisa NORC, divulgado no fim da semana passada. Apenas 3% disseram que vão se vacinar com certeza, e 16%, que provavelmente tomarão um imunizante.

Ainda de acordo com a pesquisa, 63% duvidam que os imunizantes funcionem contra variantes do coronavírus, incluindo a contagiosa delta, apesar de evidências mostrarem o contrário. Em contraste, 86% dos que já se vacinaram têm ao menos alguma confiança de que as vacinas vão funcionar.

Autoridades apontam que a variante delta, detectada inicialmente na Índia, já é responsável por mais de 80% dos novos casos de covid-19 nos EUA, e pedem que a população se mantenha cautelosa para evitar uma disseminação ainda maior.

Fauci disse que o governo está considerando recomendar que mesmo as pessoas vacinadas usem máscaras. Ele observou que algumas localidades onde as infecções estão em alta, como o condado de Los Angeles, já estão pedindo que as pessoas usem máscaras em espaços fechados, independentemente de seu status de vacinação.

Além disso, também está em análise a possibilidade de aplicar doses de reforço em pessoas com sistemas imunológicos suprimidos – como pacientes que passaram por transplantes de órgãos ou com câncer – que já foram vacinadas, disse Fauci.

"Perdemos todo o progresso que tínhamos feito"

Todos os estados do país reportaram mais casos de covid-19 na semana passada do que na anterior, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Em 48 dos 50 estados, a taxa de contágio saltou ao menos 10%, e em 34, aumentou em mais de 50%.

As hospitalizações estão aumentando, e agora os pacientes são mais jovens do que antes, afirmaram médicos do Alabama, Mississippi, Flórida e Missouri, citados pela CNN.

Fauci elogiou os governadores republicanos da Flórida, Ron DeSantis, e do Arkansas, Asa Hutchinson, além do vice-líder da minoria da Câmara dos Representantes, Steve Scalise, de Louisiana, por encorajarem a vacinação. Os três estados estão entre os com as menores taxas de vacinados no país.

"Eu gostaria de ver mais e mais dos líderes nessas áreas que não estão vacinando falando e encorajando as pessoas a se vacinarem", afirmou Fauci.

Uma reportagem do jornal The New York Times aponta que em Louisiana, autoridades de saúde locais enfrentam forte desconfiança em relação às vacinas, impulsionada por veículos de notícias e legisladores conservadores e por fake news disseminadas na internet. Entre os últimos no ranking da vacinação no país, o estado tem a segunda maior média diária de casos por 100 mil do país.

"Infelizmente estamos na vanguarda da disseminação da delta", disse Joseph Kanter, a principal autoridade de saúde do estado, citado pelo New York Times. "Perdemos todo o progresso que tínhamos feito."

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), em 30 estados menos da metade de população foi vacinada.

lf (AP, ots)

Leia mais