Museu Brandhorst é nova atração da arte contemporânea em Munique | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 30.05.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Turismo

Museu Brandhorst é nova atração da arte contemporânea em Munique

Museu que abriga coleção do mecenas alemão Udo Brandhorst foi inaugurado na última semana em Munique, com obras de Andy Wahrol, Damien Hirst e, entre outros, a maior coleção de Cy Twombly fora dos EUA.

Projeto foi escolhido em concurso arquitetônico

Projeto foi escolhido em concurso arquitetônico

Após a Pinacoteca de Arte Moderna, os amantes da arte ganharam novo espaço na capital bávara. Localizado vizinho à Pinacoteca, o Museu Brandhorst abriga a coleção de cerca de 700 peças que o mecenas alemão Udo Brandhorst entregou ao estado da Baviera, depois que sua esposa Anette faleceu em 1999.

A condição imposta por Brandhorst para a doação foi a construção de um prédio próprio para abrigar a coleção, avaliada em mais de 100 milhões de euros. O projeto do escritório berlinense Sauerbruch e Hutton foi o vencedor do concurso arquitetônico para o museu, que recebeu cerca de 250 propostas.

Além de obras de pintura, escultura e instalações do século 20, o prédio minimalista que as abriga é uma atração à parte. Revestido em placas cerâmicas em 23 tons diferentes, sua construção custou 48 milhões de euros e, devido ao jogo de cores do revestimento da fachada, já ganhou o codinome de "pulôver colorido" pelos habitantes de Munique.

Museum Brandhorst Eröffnung Flash-Galerie

Plaquetas cerâmicas escondem isolamento e refletem o interior

Cy Twombly

Com uma obra de Picasso, Udo e Anette Brandhorst iniciaram, no início dos anos de 1970, sua coleção de arte do século 20. Entre as centenas de peças da coleção, que vão de Bruce Naumann a Jean-Michel Basquiat, o diretor do Museu Brandhorst, Armin Zweite, selecionou 180 obras que o visitante poderá apreciar nos 3,2 mil metros quadrados de área de exposição do novo prédio.

O ponto forte do acervo são os trabalhos do ícone da pop art, Andy Warhol, e do pintor também norte-americano Cy Twombly. Praticamente todo o andar superior do edifício está dedicado aos quadros em grande formato de Twombly. Zweite expõe 59 das 80 obras do pintor norte-americano adquiridas por Brandhorst. Trata-se da maior coleção de obras do renomado artista fora dos EUA.

Museum Brandhorst Eröffnung Flash-Galerie

Museu Brandhorst possui maior coleção do pintor Cy Twombly fora dos EUA

Andy Warhol, Gerhard Richter e Sigmar Polke

Contrastando com o lirismo das pinturas de Twombly, o museu apresenta os chamativos quadros de Warhol. Também pertence ao ícone da pop art o maior quadro do museu – uma série de retratos de Jesus Cristo do ciclo A última ceia.

Além dos quadros de Twombly e Warhol, o acervo do museu conta, entre outros, com instalações de Damien Hirst e obras de Gerhard Richter, Sigmar Polke, Alex Katz e Jeff Koons.

Museum Brandhorst Eröffnung Flash-Galerie

Obras de Andy Warhol: 'A última ceia' e 'Cruzes'

Bonito e ecológico

O que antes estava nas paredes da residência do casal em Colônia, hoje se encontra no edifício projetado pelo alemão Matthias Sauerbruch e pela britânica Louisa Hutton, em Munique. A edificação não é somente bela, mas também ecológica. Através de um moderno sistema de climatização, são emitidas 390 toneladas de CO2 a menos que em construções convencionais.

Por trás das 36 mil plaquetas cerâmicas coloridas da fachada, os arquitetos esconderam o necessário isolamento acústico. No entanto, segundo Matthias Sauerbruch, "a fachada nasceu do desejo de trazer para fora a experiência estética que se pode ter no interior".

Museum Brandhorst Eröffnung Flash-Galerie

Obra 'Mean Clown Welcome', de Bruce Nauman

Feliz coincidência

O novo museu se localiza num pequeno terreno ao lado do imponente prédio da Pinacoteca da Modernidade em Munique. Para a diretora da Pinacoteca, Carla Schulz-Hoffmann, os dois edifícios se complementam de forma espetacular.

Segundo Schulz-Hoffmann, o acervo da Pinacoteca dá uma visão geral da arte do século 20 e 21, através da escolha de alguns poucos artistas de alto nível, mas com um acervo diversificado. Um colecionador privado, explicou, pode se dar ao luxo de acompanhar a obra de seus artistas prediletos.

A diretora da Pinacoteca de Arte Moderna de Munique considera uma grande sorte o fato de que as obras da coleção Brandhorst coincidam com aquelas que sua instituição gostaria de ter comprado, caso dispusesse de mais meios financeiros para tal.

Museum Brandhorst Eröffnung Flash-Galerie

Museu Brandhorst possui mais de 5 mil metros de área útil

Páginas 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | Texto completo

Leia mais