Morre na Alemanha o compositor Mauricio Kagel | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 18.09.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Morre na Alemanha o compositor Mauricio Kagel

O teuto-argentino Mauricio Kagel, de 76 anos, considerado um dos maiores compositores contemporâneos, morreu na cidade de Colônia após longa enfermidade.

Kagel vivia na Alemanha desde 1957

Kagel vivia na Alemanha desde 1957

Mauricio Kagel faleceu nesta quinta-feira (18/09) em Colônia, oeste da Alemanha, após longa doença, informou a CF Peters Musikverlag, que publicava suas partituras. Kagel, nascido em 24 de dezembro de 1931 em Buenos Aires, é lembrado particularmente por sua forte influência no teatro instrumental.

Como componista, Kagel foi autodidata. Também instrumentos como violoncelo e piano ele aprendeu a tocar sozinho ou com professores particulares, depois de não ter sido aprovado no exame de admissão ao Conservatório de Música. Paralelamente, estudou Filosofia e Literatura.

Antes de deixar a Argentina, ajudou a criar a cinemateca nacional, escreveu artigos sobre cinema e fotografia e compôs peças musicais para vários filmes. Sua grande obra engloba categorias distintas, como a música para orquestra, música de câmara, obras radiofônicas, para teatro e cinema, além de escrever ensaios. Bolsa de estudos do DAAD

Em 1957, Kagel saiu da América do Sul em direção à Europa com uma bolsa para artistas do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico, DAAD. Ele se instalou em Colônia, na época meca da música de vanguarda na Europa. Rapidamente, converteu-se numa das principais referências do movimento.

Mauricio Kagel

Kagel durante um ensaio

Em 1969, passou a dirigir o Instituto de Música Nova na Escola Superior Renana de Música em Colônia e sucedeu a Karlheinz Stockhausen à frente dos cursos de música nova. Um dos aspectos característicos em Kagel é a original combinação de instrumentos em suas composições. Ele é considerado o principal representante do teatro instrumental, em que música, mímica e ações se complementam.

Um exemplo marcante entre suas peças de teatro é a antiópera Staatstheater, que devido a cartas contendo ameaças teve de ser exibida sob proteção policial. Outra obra importante é Torre de Babel, de 2002, um trabalho coral para 18 vozes em 18 diferentes idiomas.

Reconhecimento também na Filosofia

O compositor foi distinguido com vários prêmios europeus ao longo de sua carreira, entre os quais o Prêmio Erasmus (1998), o Prêmio Ernst von Siemens de Música (2000) e o Grande Prêmio Renano da Arte (2002). Na temporada 2006/2007, Mauricio Kagel foi Artist in Residence na Filarmônica de Essen, onde também atuou como maestro. Em um simpósio na Universidade de Siegen, em 2007, ele recebeu o título de doutor honoris causa em Filosofia.

O selo Winter & Winter, que publica obras de Kagel desde 1998, fez por ocasião de seu aniversário de 75 anos uma edição especial composta por dois CDs e um DVD, onde o músico retrabalhou e remasterizou suas obras.

No próximo dia 22 de setembro, ele e seu grupo Ensemble Modern fariam um concerto em Frankfurt. Para o compositor Udo Zimmermann, de Dresden, a morte de Kagel é "um duro golpe para o mundo da música".

Leia mais