Morre aos 95 anos Stan Lee, lenda dos quadrinhos | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 12.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Morre aos 95 anos Stan Lee, lenda dos quadrinhos

Quadrinista ajudou a criar para a Marvel figuras míticas de revista, TV e cinema, que se tornaram referência da cultura pop, como Homem-Aranha, X-Men e Hulk.

Stan Lee

Stan Lee revolucionou quadrinhos de super-herói

Morreu nesta segunda-feira (12/11), aos 95 anos, Stan Lee, lenda dos quadrinhos e pai dos mais importantes personagens da Marvel, como Homem-Aranha, Hulk e X-Men. 

Lee foi levado no começo da manhã de sua casa em Hollywood, na Califórnia, para um hospital de Los Angeles, onde acabou morrendo. As causas da morte ainda não foram divulgadas pela família, mas ele vinha sofrendo com vários problemas de saúde nos últimos anos. Além disso, no ano passado, perdeu sua esposa, Joan Lee, com quem fora casado por mais de 70 anos.

"Ele sentia uma obrigação com seus fãs de continuar criando. Ele amava a sua vida e o que fazia para viver. Ele é insubstituível”, afirmou sua filha, Joan Celia Lee, num comunicado.

Como escritor e editor, Lee foi a chave para a ascensão da Marvel como um império dos quadrinhos na década de 1960. Em colaboração com artistas como Jack Kirby e Steve Ditko, ele criou super-heróis que encantaram várias gerações de leitores.

Lee inovou ao adicionar uma nova camada de complexidade e humanidade em seus super-heróis. Seus personagens não eram feitos de pedra e tinham preocupações com dinheiro e amor, além de terem defeitos trágicos ou se sentirem inseguros.

"Senti que seria divertido aprender um pouco sobre suas vidas privadas, suas personalidades e mostrar que eles também eram humanos”, disse Lee, numa entrevista em 2010.

Nascido em Nova York, em 1922, Lee iniciou sua carreira na Timely Comics, que se tornaria a Marvel, aos 17 anos como garoto de recados. Logo passou a escrever. Em 1961, seu chefe pediu que ele criasse um time de super-heróis. Assim nasceu o Quarteto Fantástico. Em 1972, ele se tornou diretor-editorial da Marvel.

Lee deu vida a figuras míticas que se tornaram referência da cultura pop nos últimos 50 anos. Suas criações incluem, além dos mutantes de X-Men, o Homem-Aranha e Hulk, o Quarteto Fantástico e o Homem de Ferro.

"Escreva coisas que você quer ler. Se trata de escrever coisas que você acredita que eles [os leitores] querem ler. Você não os conhece, mas conhece a si mesmo. Deve haver alguém como você, que gostará do que você escreveu", disse Lee em agosto do ano passado, ao participar de uma homenagem a sua carreira em Los Angeles. "O que eu fiz foi tentar escrever histórias que eu gostaria de ler. De um modo ou outro, funcionou", contou.

Lee inovou ainda ao envolver outros artistas no processo de criação de histórias e personagens, o que ficou conhecido como "Método Marvel". Acabou sendo criticados em alguns momentos, por ter recebido o crédito por ideias que supostamente não eram suas.

Nas décadas de 1970 e 1980, esses personagens foram adaptados para séries e desenhos de televisão.

Seus personagens saíram ainda das páginas dos quadrinhos e ganharam as telas de cinema. Dezenas de filmes da Marvel foram produzidos na primeira década do século 21, arrecadando mais de 20 bilhões de dólares de bilheteira em todo o mundo.

Contratado da Marvel, Lee recebeu um retorno limitado diante do sucesso de seus personagens. Em 1998, ele lutou por uma cláusula que lhe garantia 10% dos lucros do cinema e programas de TV com personagens da Marvel. Em 2002, ele processou a editora para receber lucros do filme "Homem-Aranha”.

Lee teve dois filhos, Joan Celia, que nasceu em 1950, e Jan Lee, que morreu logo após o nascimento, em 1953.

CN/efe/rtr/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados