Morre aos 77 anos o ator Bruno Ganz | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 16.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cinema

Morre aos 77 anos o ator Bruno Ganz

Um dos maiores atores de língua alemã da história, suíço teve carreira brilhante no teatro e desempenhou papéis memoráveis no cinema, como Adolf Hitler no aclamado "A queda".

Morreu neste sábado (16/02), aos 77 anos, o suíço Bruno Ganz, considerado um dos maiores atores de língua alemã da história. O artista lutava há anos contra um câncer.

Nascido em 1941, Ganz dedicou décadas de sua carreira ao teatro e passou a ser mais conhecido do grande público através do cinema, a partir dos anos 1970.

Um dos seus papéis mais famosos foi o de Adolf Hitler no filme A queda (2004), que mostra os últimos dias do ditador nazista em seu bunker em Berlim. Aclamado pela crítica, o longa foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Bruno Ganz interpretou Hitler no cinema em 2004

Bruno Ganz interpretou Hitler no cinema em 2004

Ganz era um dos atores favoritos do cineasta Wim Wenders, que o dirigiu em filmes como O amigo americano (1977), Asas do desejo (1987) e Tão longe, tão perto (1993). 

O ator também desempenhou papéis importantes em filmes de língua inglesa, como Sob o domínio do mal (2004), O leitor (2008) e Os meninos do Brasil (1978). Uma de suas atuações mais marcantes foi em A eternidade e um dia, do diretor grego Theo Angelopoulos. O filme levou a Palma de Ouro em Cannes em 1998.

Bruno Ganz ao lado de Wim Wenders: várias parcerias no cinema

Bruno Ganz ao lado de Wim Wenders: várias parcerias no cinema

Recentemente, no teatro, Bruno Ganz interpretou Fausto, de Goethe, na adaptação de Peter Stein. No ano passado, ele chegou a aceitar um papel numa encenação da ópera A flauta mágica, de Mozart, mas, com a saúde debilitada, teve que deixar o projeto.

Bruno Ganz interpretou Freud em um de seus últimos papéis

Bruno Ganz interpretou Freud em um de seus últimos papéis

Um de seus últimos papéis foi o de Sigmund Freud, em 2018, no filme Der Trafikant.

"Com ele, perdemos não apenas um artista grandioso, que até o final trabalhou de forma intensiva e alegre em seus projetos, mas também um ser humano e amigo maravilho", escreveu sua agente, Patricia Baumbauer. Segundo ela, o ator morreu em Zurique, cercado de familiares.

RPR/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais