1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
A foto mostra os ministros do Exterior da Alemanha, Annalena Baerbock que está à direita na foto, de blazer rosa e calça clara, da França, Jean-Yves Le Drian, à esquerda, de terno preto, e da Polônia, Zbigniew Rau, ao centro, de terno azul-marinho. Eles estão em pé, atrás de púlpitos que têm microfones e as respectivas bandeiras de cada país.
Le Drian, Rau e Baerbock: encontro nesta terça-feira reforçou críticas severas aos ataques russos à UcrâniaFoto: Agencja Wyborcza.pl/REUTERS

Ministros de Alemanha, França e Polônia condenam ataques

1 de março de 2022

Encontro entre ministros do Exterior reiterou críticas severas da União Europeia às agressões russas na Ucrânia. Em comunicado, alemã Annalena Baerbock diz que "Putin demonstra que não respeita mais nenhuma regra".

https://p.dw.com/p/47qNQ

Em um encontro no formato conhecido como Triângulo de Weimar nesta terça-feira (01/03), em Lodz, na Polônia, os ministros do Exterior da Alemanha, da França e da Polônia condenaram os ataques russos em várias regiões do território ucraniano. Annalena Baerbock, Jean-Yves Le Drian e Zbigniew Rau também reforçaram que apoiam a construção de laços políticos e econômicos da Ucrânia com a União Europeia.

Os ministros disseram que "reafirmam o compromisso de fortalecer a relação política e a integração econômica da Ucrânia com a União Europeia e seu mercado interno". O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, também participou das conversas por videoconferência, segundo fontes polonesas.

Em um comunicado divulgado antes do encontro, a ministra alemã do Exterior apelou pela unidade da Europa diante da guerra promovida pela Rússia contra a Ucrânia: "Em suas horas mais difíceis, a Europa está mais unida e mais próxima do que muitos teriam imaginado. Com sua guerra agressiva, Putin demonstra que não respeita mais nenhuma regra. A nossa união, portanto, tornou-se uma questão de sobrevivência para a Europa hoje", declarou Baerbock.

Nesta segunda-feira, a Ucrânia pediu o ingresso do país no bloco europeu. No entanto, o processo de análise do pedido pela União Europeia deve levar tempo, apesar do apoio de várias nações em meio à invasão russa ao país.

Em conjunto, Baerbock, Le Drian e Rau também divulgaram um comunicado no qual dizem que "nós, os ministros do Exterior da Alemanha, França e Polônia condenamos com as mais fortes palavras a invasão injustificada da Ucrânia pelas forças armadas da Federação Russa em uma flagrante violação da Carta das Nações Unidas. Também condenamos o envolvimento de Belarus nessa agressão e apelamos a Minsk para que cumpra suas obrigações internacionais".

Os ministros disseram que "a agressão da Rússia contra a Ucrânia é a mais séria ameaça à segurança Euro-Atlântica em décadas. Lamentamos as trágicas mortes, o enorme sofrimento humano e a destruição causados pelas ações da Rússia. Exigimos que as autoridades russas cessem imediatamente e incondicionalmente as operações militares e retirem todas as forças e equipamentos militares de todo o território da Ucrânia".

O Triângulo de Weimar é uma cooperação informal entre Alemanha, França e Polônia que teve a sua primeira edição em 28 de agosto de 1991, mesmo dia de nascimento do escritor alemão Wolfgang Goethe, que morou e morreu em Weimar, no estado da Turíngia, leste do país.

A cidade foi sede da fundação da chamada República de Weimar, a primeira república democrática alemã, em 1919, após o fim da Primeira Guerra Mundial.

Após a reunião na Polônia, Baerbock viajaria a Nova York para participar da reunião extraordinária da Assembleia Geral da ONU sobre a Ucrânia, que começou nesta segunda-feira. Países do Ocidente esperam que a maioria dos 193 estados-membros condenem a invasão russa e reforcem o isolamento global do país. Em mais de 70 anos, esta é apenas a 11ª reunião de emergência entre membros da organização.

gb/bl (Reuters, dpa)

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado