Messi e Rapinoe levam o Bola de Ouro | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 03.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Futebol

Messi e Rapinoe levam o Bola de Ouro

Argentino bate recorde histórico ao ser eleito pela sexta vez o melhor jogador do mundo pela "France Football". Americana é a segunda mulher a receber a premiação na categoria futebol feminino.

O atacante argentino Lionel Messi, do Barcelona, e a meia-atacante americana Megan Rapinoe, do Seattle Reign, foram eleitos nesta segunda-feira (02/12) os melhores jogadores de futebol do mundo pela revista francesa France Football. Essa foi a sexta vez que Messi recebeu o prêmio Bola de Ouro.

Com a vitória, Messi deixou para trás o atacante português Cristiano Ronaldo, da Juventus, com quem dividia a liderança histórica do prêmio. O astro, que no ano passado não havia conseguido figurar entre os três primeiros pela primeira vez após 11 edições consecutivas, juntará o troféu recebido em Paris aos conquistados em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015. CR7, por sua vez, segue com as vitórias obtidas em 2008, 2013, 2014, 2016 e 2017.

"Espero continuar por um longo tempo. Percebo que tenho muita sorte, mesmo quando, em algum dia, a aposentadoria chegar. Será difícil, mas ainda tenho muitos bons anos à minha frente. O tempo passa muito rápido e quero aproveitar o futebol e minha família", disse Messi ao receber o prêmio.

Neste ano, Messi já havia conquistado o prêmio The Best, organizado pela Fifa. Individualmente, foi campeão espanhol e ajudou o Barcelona a alcançar as semifinais da Liga dos Campeões. Além disso, foi o ganhador da Chuteira de Ouro, entregue ao principal artilheiro dos campeonatos europeus.

Já Rapinoe confirmou o favoritismo e recebeu a segunda Bola de Ouro feminina da história, sucedendo à atacante norueguesa Ada Hegerberg. Ao ser eleita a melhor do mundo, Rapinoe superou na disputa a lateral-direita britânica Lucy Bronze, do Lyon, e a também americana Alex Morgan, atacante do Orlando Pride.

"Não acredito que sou a vencedora. Esse tem sido um ano incrível", disse Rapinoe numa mensagem de vídeo que deixou por não poder comparecer à cerimônia. "Quero agradecer imensamente às minhas colegas de time, aos treinadores, à Federação Americana de Futebol e a todo apoio que permite ser quem eu sou dentro e fora dos campos", afirmou.

Rapinoe liderou a seleção dos Estados Unidos na conquista da Copa do Mundo neste ano e, fora de campo, ganhou notoriedade por expressar com franqueza as próprias opiniões, inclusive contra o presidente do país, Donald Trump. A jogadora provocou a ira do republicano ao dizer que não compareceria a uma recepção na Casa Branca caso os EUA ganhassem o Mundial.

Assim como Messi, Rapinoe também foi eleita a melhor jogadora do ano pela Fifa. Além disso, foi a melhor jogadora e artilheira da Copa do Mundo disputada na França.

O brasileiro mais bem colocado na lista da revista francesa foi o goleiro Alisson, do Liverpool, que ficou em sétimo lugar. Já o atacante Roberto Firmino, mais um representante do Liverpool, ficou em 17º.

A Bola de Ouro é oferecida pela France Football desde 1956, com intuito de escolher o melhor jogador do ano. A premiação foi unificada à de melhor do mundo da Fifa em 2010, mas a parceria terminou em 2016, ano em que a revista voltou a organizar sua seleção separadamente. Em 2018, pela primeira vez, o prêmio foi oferecido na categoria futebol feminino.

CN/efe/afp/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais