Merkel e Sánchez buscam soluções para crise migratória da UE | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 11.08.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Europa

Merkel e Sánchez buscam soluções para crise migratória da UE

Em dois dias, líderes da Alemanha e Espanha tentam esboçar estratégias para distribuição e repatriação de refugiados. Merkel declara Convenção de Dublin "inviável"; Sánchez quer combater desigualdades na África.

Angela Merkel (dir.) e Pedro Sánchez dão declaração conjunta em Sanlúcar de Barrameda, sul da Espanha

Angela Merkel (dir.) e Pedro Sánchez dão declaração conjunta em Sanlúcar de Barrameda, sul da Espanha

O chefe de governo espanhol, Pedro Sánchez, e sua homóloga alemã, Angela Merkel, defenderam neste sábado (11/08) uma "distribuição justa" dos migrantes e refugiados e prometeram apresentar uma visão comum sobre o tema na próxima cúpula da União Europeia.

Num almoço de trabalho em Sanlúcar de Barrameda, na região de Andaluzia, sul da Espanha, ambos discutiram uma aliança estratégica para enfrentar a crise migratória na Europa. Segundo Merkel, "trata-se de um desafio que todos teremos que vencer juntos", e "nenhum país pode se esquivar dessa tarefa".

Após o encontro informal, a chanceler federal alemã tachou de "inviável" a atual regulamentação europeia sobre a migração, com base na Convenção de Dublin. "Na teoria, nenhum migrante ou refugiado deveria jamais chegar à Alemanha. Mas isso não corresponde à realidade." Por isso, os Estados-membros da UE precisam trabalhar para "encontrar um sistema de distribuição justo, e organizar conjuntamente a repatriação".

Busca de solução em acordos bilaterais

Antes mesmo do encontro na Espanha, os dois líderes já haviam fechado a um acordo que entra em vigor neste sábado. Nele, a Espanha se compromete a acolher de volta os migrantes registrados em seu território, mas que posteriormente entraram na Alemanha, através da fronteira com a Áustria.

Em declaração conjunta, Sánchez e Merkel anunciaram posição comum e apoio mútuo à gestão dos fluxos migratórios, numa aliança de que também participam a França e Portugal. A Alemanha tem tentado estabelecer acordos bilaterais para sustar a migração secundária em direção a seu território, mas até agora só teve sucesso com Madri. As negociações com os governos da Grécia e Itália prosseguem.

Segundo Sánchez, citado pela agência de notícias AFP, ele e Merkel se comprometeram a "intensificar o diálogo e a cooperação com os países de origem e de trânsito, principalmente com Marrocos", origem da maioria dos migrantes que chegam à costa espanhola. Com esse fim, se estabelecerão acordos e será oferecido apoio econômico para o controle de fronteiras.

"Quatorze quilômetros separam a costa de Espanha -- e, consequentemente, a Europa -- do Norte de África, mas a distância é infinitamente maior em termos de desenvolvimento", lembrou o presidente do governo espanhol. "Reduzir a profundidade desse abismo de desigualdade deve ser uma das principais tarefas da União Europeia."

O encontro bilateral de dois dias entre Sánchez e Merkel é o segundo com o fim de esboçar estratégias para a cúpula europeia agendada para setembro, em Salzburgo, Áustria.

AV/afp,lusa,rtr,dpa

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | 
App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais