Melbourne reforça lockdown após aumento de casos de covid-19 | Notícias internacionais e análises | DW | 02.08.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Melbourne reforça lockdown após aumento de casos de covid-19

Metrópole australiana impõe toque de recolher e confinamento obrigatório para frear coronavírus. Governador declara "estado de desastre" e atribui alta das infecções a pessoas que desobececeram restrições anteriores.

Policiais nas ruas de Melbourne visam garantir obediência às regras contra o coronavírus

Policiais nas ruas de Melbourne visam garantir obediência às regras contra o coronavírus

O estado australiano de Victoria adotou medidas drásticas neste domingo (02/08) para conter o aumento de caso de covid-19 na região, com a imposição de um toque de recolher em Melbourne, a segunda maior cidade do país, e proibindo as pessoas de se deslocarem por mais de 5 quilômetros de suas casas.

O governador Daniel Andrews declarou "estado de desastre" e disse que a ampliação das restrições, válidas até 13 de setembro, são necessárias em razão do nível "extremamente alto" de transmissão da doença. O estado soma a maioria dos casos ativos de coronavírus na Austrália, com 671 infecções e sete mortes registradas neste domingo, o que elevou o total de óbitos no país para 208.

As regras mais rígidas adotadas na Austrália desde o início da pandemia estabelecem que os cidadãos devem permanecer em suas casas entre as 20h00 e as 05h00 pelas próximas seis semanas. Saídas serão permitidas apenas para trabalhadores essenciais ou para quem precisar fornecer ou receber cuidados.

As novas medidas foram adotadas após o fracasso do lockdown adotado no início de julho, que não conseguiu evitar a disseminação do vírus. O governador atribui o aumento dos casos às pessoas que desobedeceram as regras de confinamento.

Autoridades de saúde também apontam que o ressurgimento do coronavírus se deu por falhas de segurança em hotéis reservados para deixar em quarentena as pessoas que vinham do exterior, o que permitiu que o vírus se espalhasse para a população local.

"O tempo para complacência, para alertas e advertências está encerrado", disse Andrews. "Se você não está em casa e deveria estar, se você tem o vírus e continua sua rotina normal, você será tratado com severidade. Vidas estão em jogo."

"Essas decisões foram tomadas porque, nada menos do que isso nos manterá seguros", afirmou o governador. Ele avalia que medidas mais brandas fariam com que a doença se arrastasse durante meses.

As medidas também estabelecem que os moradores de Melbourne terão uma hora diária para exercícios físicos. Apenas uma pessoa de cada residência poderá sair para comprar itens essenciais, também dentro do limite de 5 quilômetros de suas casas. A maioria das escolas e universidades retomarão as aulas online, poucas semanas após os alunos voltarem às salas de aula. A realização de casamentos está proibida.

Em outras partes do Estado, as medidas de confinamento entrarão em uma fase menos rígida, onde a população poderá deixar suas casas para trabalhos essenciais, estudos, cuidados médicos e compras de itens necessários.

No resto do país, vários estados e territórios registraram poucos ou nenhum caso da doença, o que levou ao relaxamento das medidas de precaução. Essas regiões, contudo, proibiram a entrada de visitantes do estado de Victoria e da metrópole de Sidney, outro foco de contaminação na Austrália.

RC/afp/rtr     

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais