Marte pode ter lago com água líquida | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 25.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Ciência

Marte pode ter lago com água líquida

Em descoberta classificada de "a mais importante dos últimos anos", cientistas detectam primeiras evidências de corpo estável de água líquida no planeta vermelho. Apesar de gelado e salgado, lago poderia abrigar vida.

Marte

Suposto lago possui temperatura estimada em -10 °C e grande quantidade de sais

Cientistas encontraram evidências de um grande lago sob uma camada de gelo no polo sul de Marte, reforçando a hipótese de que existe vida no planeta, aponta um estudo publicado na revista Science nesta quarta-feira (25/07).

Os resultados da pesquisa, liderada por cientistas italianos, foram apresentados na sede da Agência Espacial Italiana e classificados por seu presidente, Roberto Battiston, como "a mais importante dos últimos anos".

Uma análise de dados coletados entre 2012 e 2015 por um instrumento a bordo da nave Mars Express, lançada em 2003 pela Agência Espacial Europeia, revelou a existência do suposto lago. O aparelho é capaz de transmitir pulsos de radar que penetram a superfície e as calotas polares de Marte.

Com cerca de 20 quilômetros de largura e coberto por uma camada de gelo de quase 1,5 quilômetro de espessura, o suposto lago representaria o primeiro corpo estável de água líquida já descoberto no planeta vermelho. O perfil visto por radar lembra o de lagos sob camadas de gelo na Antártica e na Groenlândia.

"Este é o lugar em Marte onde há algo que mais lembra um habitat, um lugar onde a vida poderia se manter", disse o cientista planetário Roberto Orosei, do Instituto Nacional de Astrofísica na Itália, líder do estudo publicado na Science.

Apesar de a água do lago estar a estimados -10 °C, abaixo da temperatura de congelamento da água pura (0 °C), ela permanece líquida por conter grande quantidade de sais, afirmaram cientistas.

Alguns especialistas são céticos quanto à possibilidade de vida pelo fato de o lago ser tão gelado e conter grande quantidade de sais e minerais. Para Orosei, no entanto, embora o ambiente seja inóspito, micro-organismos poderiam ter se adaptado a tais condições.

Os cientistas pretendem buscar mais sinais de corpos de água no planeta. "Não há razão para concluir que a presença de água abaixo da superfície em Marte seja limitada a um único local", afirmam os autores do estudo.

Adotando um tom cauteloso, David Stillman, pesquisador sênior do Departamento de Estudos Espaciais do Instituto de Pesquisa do Sudoeste do Texas e que não participou da pesquisa, advertiu que a descoberta precisa ser confirmada por outra nave ou outros instrumentos.

Hoje frio e seco, o planeta vermelho abrigava água líquida há cerca de 3,6 bilhões de anos. Encontrar água ajudaria a descobrir se já houve vida em Marte no passado e se ela pode ter resistido até hoje.

A descoberta de água também poderia ajudar humanos a sobreviver em uma missão tripulada ao planeta vizinho à Terra no futuro, embora o lago não tenha água potável.

Apesar do ânimo com as evidências de existência do lago, verificar se há vida no local poderia levar anos: uma possibilidade seria perfurar o gelo para retirar uma amostra da água.

PJ/rtr/afp/efe

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais