1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Carro militar diante de mesquita e nuvem negra de fumaça
Explosão de carro-bomba em Kandahar, julho de 2019, matou pelo menos dezFoto: picture-alliance/AP Photo

Mais de 100 mil mortos e feridos no Afeganistão desde 2009

26 de dezembro de 2019

Missão Unama, da ONU, divulga balanço trimestral das vítimas do conflito que já dura 40 anos. EUA negocia com talibãs: retirada de 14 mil militares americanos é pré-condição para eventual acordo de paz.

https://p.dw.com/p/3VMCk

A guerra no Afeganistão fez mais de 100 mil vítimas civis, entre mortos e feridos, na última década, divulgou nesta quinta-feira (26/12) o diplomata japonês Tadamichi Yamamoto, responsável pela missão das Nações Unidas em território afegão (Unama, na sigla em inglês).

"A guerra no Afeganistão continua a ter um impacto terrível nos civis", comentou em comunicado, num momento em que prossegue na região o conflito entre os rebeldes talibãs e o governo afegão apoiado pelas forças americanas.

"As baixas civis durante os últimos dez anos ultrapassaram recentemente as 100 mil", referiu Yamamoto, expressando "extrema tristeza" perante a situação. Ao mesmo tempo, conclamou os envolvidos a darem "passos verdadeiros e concretos para o fim da guerra, pois não pode haver solução militar para o conflito neste país".

A guerra no país asiático já dura 40 anos, e desde 2009 a missão da ONU publica relatórios trimestrais detalhados sobre as vítimas civis. Em meados de outubro, ela registrava um número recorde de vítimas civis: 1.174 mortos e 3.139 feridos, representando um acréscimo de 42% em relação ao terceiro trimestre de 2018.

Estados Unidos e talibãs estão envolvidos há mais de um ano num processo de negociação marcado por avanços e recuos, em busca de um acordo para reduzir a violência na região. No total, os EUA mantêm no território afegão cerca de 14 mil militares destacados, cuja retirada é um ponto central para um eventual acordo com os insurgentes.

No atual comunicado, Tadamichi Yamamoto reiterou o apelo das Nações Unidas para que "todas as partes interessadas tomem medidas sinceras e concretas em direção ao fim da guerra". Também nesta quinta-feira, seis soldados morreram e outros três ficaram feridos quando um carro-bomba explodiu no distrito de Balkh, na província homônima no norte do Afeganistão, informou o Ministério da Defesa em comunicado no Facebook.

AV/afp,lusa,dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado