Macron afirma ter provas de que Assad usou armas químicas | Notícias internacionais e análises | DW | 12.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Macron afirma ter provas de que Assad usou armas químicas

Presidente francês diz ter evidências que responsabilizam regime sírio por ataque químico contra civis em Duma e que tomará decisão sobre o que fazer "no momento oportuno".

Emmanuel Macron

Macron: "Em caso alguma a França permitirá que o conflito se acirre"

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta quinta-feira (12/04) que dispõe de provas de que foram usadas armas químicas no ataque à cidade síria de Duma e de que elas foram usadas pelo regime do presidente Bashar al-Assad.

Leia mais: "Nunca disse quando um ataque à Síria ocorreria", afirma Trump

"Temos provas de que foram utilizadas armas químicas, no mínimo cloro, e de que foi o regime quem as utilizou", afirmou Macron para a emissora  TF1. "Tomaremos decisões no momento oportuno, quando as considerarmos mais úteis e mais eficazes", acrescentou, ao falar sobre um possível ataque com mísseis em represália.

O presidente afirmou que uma intervenção deve estar destinada a impedir que Damasco volte a fazer uso de armas químicas e também contribuir para "preparar a Síria de amanhã", que deve ser dirigida por um governo "que inclua todas as minorias".

O presidente francês indicou que está em contato diário com seu homólogo americano, Donald Trump, e que mantém contato regular com o presidente russo, Vladimir Putin, aliado de Assad.

"Em caso alguma a França permitirá que o conflito se acirre ou que algo coloque em risco a estabilidade da região", afirmou Macron. "Mas não podemos permitir que regimes que se permitem tudo, em especial o que há de pior em contravenção do direito internacional, ajam."

Também nesta quinta-feira, Trump, que antes ameaçara com o lançamento de mísseis, tuitou que "nunca disse quando" isso ocorreria.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que cerca de 500 pessoas foram atendidas em centros médicos de Duma com sintomas de exposição a agentes químicos e que aproximadamente 70 pessoas que estavam em porões morreram por causa do ataque químico, que teria ocorrido no último sábado.

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou nesta quinta-feira que o Exército sírio tomou controle total sobre Duma, que é o último bastião dos rebeldes em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

AS/afp/lusa/efe

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais