Macron é diagnosticado com covid-19 | Notícias internacionais e análises | DW | 17.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Macron é diagnosticado com covid-19

Presidente francês fez o teste para coronavírus após apresentar os primeiros sintomas. Líderes europeus e autoridades com quem ele teve contato nos últimos dias adotam quarentena. Merkel testa negativo, diz porta-voz.

O presidente da França, Emmanuel Macron

Macron esteve recentemente em Bruxelas para uma cúpula entre líderes europeus

O presidente da França, Emmanuel Macron, foi diagnosticado com o novo coronavírus, informou o Palácio do Eliseu nesta quinta-feira (17/12).

"O presidente testou positivo para covid-19", disse a presidência em nota, afirmando que ele fez o teste após apresentar os primeiros sintomas. Segundo seus assessores, ainda não se sabe como ele foi infectado com a doença.

Macron, de 42 anos, iniciou uma quarentena de sete dias onde "continuará a realizar suas atividades remotamente". Seus assessores disseram que o presidente tem estilo de vida saudável, se exercita regularmente e não fuma.

A equipe de Macron realizou a identificação das pessoas com quem ele manteve contato recentemente, para informá-los da situação. Todas as próximas viagens na agenda do presidente foram canceladas, incluindo uma visita marcada para o dia 22 ao Líbano, onde o francês vem liderando os esforços para resolver a grave crise política no país.

Recentemente, Macron esteve na cúpula dos 27 líderes europeus, ocorrida nos dias 10 e 11 de dezembro em Bruxelas.

Uma porta-voz da chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, disse que a líder testou negativo para o coronavírus logo após o encontro. Autoridades alemãs dizem que ela usou máscara de proteção durante todo o tempo e observou as regras de proteção. Ela enviou a Macron seus "desejos por uma rápida recuperação".

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também desejou melhoras ao francês. "Sinto em saber que meu amigo Emmanuel Macron testou positivo para o coronavírus. Todos lhe desejamos uma rápida melhora", escreveu em seu perfil no Twitter. Johnson contraiu o vírus em março e enfrentou problemas graves de saúde, inclusive sendo internado em uma UTI.

Líderes europeus em quarentena

Recentemente, Macron se reuniu ainda com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, e o diretor-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento econômico (OCDE), Ángel Gurria, de 70 anos. Sánchez e Michel iniciaram um período de quarentena.

Nesta quarta-feira, o francês se encontrou com o premiê português, António Costa, que também disse estar em isolamento e aguardando o resultado de um teste para detectar a doença.

Há dois dias, Macron presidiu uma reunião de quatro horas de duração de um Conselho de Cidadãos com dezenas de pessoas. Ele usou máscara durante todo o evento. Na quarta-feira, ele também chefiou uma reunião de gabinete.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, que esteve em contato com o presidente, entrou em isolamento voluntário, apesar de testar negativo para a doença. Líderes de partidos políticos da Assembleia Nacional também adotaram o autoisolamento após saberem do diagnóstico de Macron, com quem se reuniram no início da semana.

Até agora, o ministro das Finanças, Bruno Le Maire, era a autoridade mais alta do país a ser infectada pelo vírus. Depois de se recuperar, ele contou que passou por alguns momentos difíceis durante o tratamento.

O diagnóstico de Macron ocorre no momento em que o país inicia o relaxamento do lockdown para conter a disseminação do coronavírus. Até o momento, a França acumula 2,4 milhões de casos da doença e quase 60 mil mortes.

RC/rtr/afp/ap/dpa