Lufthansa já teve mais de 18 mil voos cancelados em 2018 | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 17.10.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Lufthansa já teve mais de 18 mil voos cancelados em 2018

Companhia aérea anuncia investimentos, aeronaves e tripulações de reserva e quer repartir custos de atrasos com aeroportos. Operação parcialmente caótica é atribuída também a mau tempo, greves e falta de funcionários.

Boeing 747-400 da Lufthansa em trânsito no aeroporto Tegel, em Berlim

Segundo dados próprios, a Lufthansa cancelou mais voos no primeiro semestre de 2018 do que em todo o ano de 2017

Cerca de 18 mil voos do Grupo Lufthansa foram cancelados neste ano até o final de agosto, segundo dados da própria companhia aérea alemã – o que equivale à média diária de mais de 60 voos. Depois de uma operação parcialmente caótica, com milhares de cancelamentos de voos, especialmente durante o verão europeu, a Lufthansa anunciou planos de melhorias.

Medido no número total de voos, cerca de 2% dos voos das empresas Lufthansa, Eurowings, Swiss e Austrian foram afetados. Nos primeiros oito meses deste ano, o Grupo Lufthansa completou cerca de 814 mil voos, cerca de 3.350 por dia.

A quantidade de voos cancelados equivaleria ao mesmo se o aeroporto de Frankfurt, maior hub da Lufthansa, tivesse ficado completamente fechado por duas semanas, afirmou o membro do conselho executivo da companhia aérea, Harry Hohmeister, em entrevista ao jornal alemão Hamburger Abendblatt, publicada nesta quarta-feira (16/10).

Além disso, houve inúmeros atrasos que impossibilitaram os passageiros de alcançarem seus voos de conexão. Hohmeister afirma entender a frustração dos passageiros. "Nossos clientes esperam confiabilidade de nós, com razão", disse.

Hohmeister anunciou planos de investimento no valor de 250 milhões de euros. A Lufthansa colocará à disposição aeronaves e tripulações adicionais – em Frankfurt, por exemplo, encontram-se dois aviões reservas desde o meio do ano.

"Vamos aumentar ainda mais o número também em Munique", garantiu. Além disso, 600 novos funcionários farão parte do departamento de controle de qualidade, e nove aviões Airbus A320 foram comprados para compensar o atraso na entrega de outra encomenda.

Grande parte das causas de cancelamentos e atrasos não pode ser atribuída às companhias aéreas, mas em outros setores da aviação, como no controle do tráfego aéreo, nos controles de segurança e no transporte de bagagem. Hohmeister pleiteou uma distribuição mais equitativa dos custos pelos atrasos. "Vamos falar com os nossos parceiros no sistema aéreo, tais como aeroportos e os responsáveis pela segurança aérea", afirmou.

O Grupo Lufthansa emitiu no meio do ano um pedido de desculpas pelos cancelamentos e atrasos de voos. Segundo dados da própria companhia aérea, a Lufthansa cancelou mais voos no primeiro semestre de 2018 do que em todo o ano de 2017. Além do mau tempo e de contínuas greves de controladores de tráfego aéreo, a Lufthansa também sofreu com escassez de aeronaves e de funcionários.

PV/dpa/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp
App | Instagram | Newsletter

Leia mais