Libra esterlina e Bolsa de Londres sofrem forte queda em 2008 | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 02.01.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Libra esterlina e Bolsa de Londres sofrem forte queda em 2008

A libra esterlina, moeda do Reino Unido, sofreu desvalorização drástica em relação ao euro no ano que passou. Analistas esperam para breve uma paridade entre as moedas. Apesar disso, britânicos não querem adotar o euro.

default

Libra esterlina desvalorizou 32% em relação ao euro em 2008

Em comparação com o euro, a libra esterlina sofreu uma desvalorização significativa em 2008. A moeda britânica, que começara o ano valendo 1,36 euro, terminou 2008 cotada em 1,04 euro. A queda se acentuou principalmente no mês de dezembro, quando a libra esterlina perdeu 13% de seu valor. No cômputo anual, ela desvalorizou-se 32%.

Por um longo período de tempo, depois da introdução do euro em 1999, a moeda britânica valera 1,50 euro. Sua drástica queda é atribuída à crise financeira internacional. Recentemente, o Bank of England baixou as taxas de juros para até 2%, o que afastou investidores da moeda.

A perda de valor da libra esterlina também se atribui à iminente recessão e ao alto endividamento do Estado. Para 2009, analistas esperam uma queda do preço de imóveis e um aumento do desemprego.

Crise também na Bolsa de Valores

Apesar da desvalorização da libra, a maioria dos britânicos ainda é contra a adoção da moeda comum europeia, dez anos após sua introdução, conforme pesquisa divulgada na quinta-feira (01/01) pela emissora BBC Radio 4. Somente 23% dos entrevistados se mostraram a favor, enquanto 71% dos britânicos rejeitaram a adoção do euro.

Großbritannien neue 1 Pfund Münze

Britânicos não querem trocar sua moeda pelo euro, diz pesquisa

Mas não somente a libra esterlina vivenciou uma queda histórica: 2008 foi o pior ano da Bolsa de Valores de Londres desde a introdução, há 24 anos, do seu principal indicador, o índice FTSE-100, que inclui as cem principais empresas cotadas na Financial Times Stock Exchange.

As crises bancária e de crédito, assim como o rombo no mercado imobiliário, provocaram o encolhimento em 31% do FTSE-100 em apenas um ano.

Em janeiro de 2008, o índice iniciara o ano aos 6.456,9 pontos. Analistas previam que, ainda no ano passado, o FSTE-100 quebraria seu recorde e ultrapassaria os 7.000 pontos. No entanto, o indicador fechou 2008 aos 4.434 pontos.

Esperança para libra esterlina

No entanto, outra pesquisa divulgada no início desta semana pelo jornal Financial TImes Deutschland apontou que a libra esterlina poderá se recuperar em 2009. Na opinião dos 42 analistas e especialistas entrevistados, a libra esterlina deve se recuperar 14% em relação ao euro no ano que se inicia.

Outros analistas são da opinião de que a economia britânica irá se recuperar da recessão mais rapidamente que a do resto da Zona do Euro. Especialistas também esperam uma nova redução da taxa de juros para 1,5%. A última vez que ela atingiu essa marca foi em agosto de 1854, salientou o Times Online.

Reserva de moeda estrangeira

Na passagem do ano, investidores asiáticos e do Oriente Médio preferiram trocar o dólar pelo euro como reserva de moeda estrangeira, o que provocou uma queda também do dólar em relação à moeda comum europeia.

Além disso, devido à crise no Oriente Médio, um grande número de investidores resolveu retornar ao seguro franco suíço. "No momento, existem riscos geopolíticos. Nesses casos, o franco suíço sempre é comprado", explicou um investidor europeu. (ca)

Leia mais